Na luneta está a inscrição Porsche, nos índices foi usado o tipo de letra da marca alemã. O vermelho

relojoaria

Tag Heuer e Porsche. Finalmente, o casamento

Quase 50 anos depois do primeiro encontro, a relação entre a marca de relógios suíça e o construtor de carros desportivos faz-se oficial com o lançamento do Tag Heuer Carrera Porsche.

Comungam tradições comuns e agora e tornam agora oficial uma relação que nos leva até à década de 60. Celebram com o lançamento de um novo relógio, com tecnologia Tag Heuer e design Porsche, para, acreditam, juntar o melhor de dois mundos.

Com a apresentação do Tag Heuer Carrera Porsche, esta quinta-feira, os principais responsáveis das marcas quiseram realçar a herança de ambas. "Tal como a Porsche, somos disruptores por natureza, sempre em busca de alta performance. Com esta aliança, TAG Heuer e Porsche juntam-se finalmente de forma oficial, após décadas de encontros próximos e irão criar experiências e produtos sem paralelo, para clientes e admiradores apaixonados por ambas as marcas e por aquilo que representam", afirmou Frédéric Arnault, CEO da TAG Heuer, uma das marcas que compõem o catálogo da LVMH.

A Tag Heuer corre à mesma velocidade que a Porsche, diz a marca alemã de automóveis. "Juntamos aquilo que os nossos clientes mais apreciam nas duas marcas: um legado autêntico, eventos desportivos emocionantes, experiências de vida únicas e a realização de sonhos. Ambos ambicionamos criar momentos mágicos e únicos para as nossas comunidades. Estamos ansiosos por fazê-lo em conjunto", afirmou Detlev von Platen, membro do executive board for aales and marketing, da Porsche AG.

Um relógio para ver o tempo num esgar

Recua a 1963, o primeiro encontro entre as duas marcas - nesse ano é lançado o primeiro Heuer Carrera, desenhado para permitir que os pilotos conseguissem vislumbrar as horas num simples esgar de olhos.

Ambas as marcas garantem que estão unidas pela entrega à inovação e tecnologia, inspirados no legado dos fundadores das duas companhias - autodidatas e pioneiros nas respetivas áreas. Na Suíça, Edouard Heuer fabricou o primeiro cronógrafo; na Alemanha, Ferdinand Porsche inventou o motor elétrico de cubo de roda.

Com os avanços que conseguiram nas respetivas áreas, Edouard Heuer e Ferdinand Porsche destacaram-se na Feira Mundial de Paris, com 11 anos de diferença: a Heuer recebeu a primeira medalha em 1889 (aquela para a qual foi construída a Torre Eiffel), a Porsche deu cartas em 1900 com o seu Lohner-Porsche Electromobile.

Outro denominador comum no legado destas marcas: foram os descendentes que levaram as indústrias a patamares mais altos. Ferdinand "Ferry" Anton Ernst Porsche fundou, em Estugarda, a marca de automóveis com o nome da família três anos após a II Guerra Mundial. Poucos anos depois, o apelido torna-se sinónimo de velocidade. Vence nas pistas da Carrera Panamericana, em 1954. O motor recebe o nome Carrera, e mantém-no até hoje.

Na Suíça, Jack Heuer, bisneto de Edouard, lidera a empresa a partir de La Chaux-de-Fonds. É ele que está aos comandos em 1963 quando, pela primeira vez, as duas marcas se encontram com a criação do relógio Heuer Carrera.

Na década de 60, as marcas estão em alta, apontando ao mesmo público-alvo: apreciadores de velocidade, inovação e tudo o que for bonito. A relojoeira distingue-se das demais graças ao seu relógio automático com caixa quadrada, mostrador azul metalizado, batizado de Heuer Monaco, uma homenagem ao grande prémio do principado e ao Rali de Monte Carlo, que a Porsche venceu três vezes com o Porsche 911.

À procura de publicidade, e por 25 mil francos, a Heuer aliou-se à Porsche para que o piloto suíço Jo Siffert usasse o logótipo da marca de relógios no fato e no carro. "Além disso, Jo Siiffert poderia comprar os nossos relógios por atacado e revendê-los aos amigos pilotos, conseguindo um lucro substancial, coisa que fez com grande sucesso, pois no final da temporada de 1969 já metade do mundo da F1 usava relógios TAG Heuer!", contou Jack Heuer num documentário sobre a história empresa.

Depois de ser vendida e passar a ser Tag Heuer, nos anos 70, a marca continua ligada às pistas. Primeiro com a Ferrari, nessa mesma década, e depois nas vitórias mundiais de Niki Lauda (1984) e Alain Prost (1985 e 1986), ao volante de carros McLaren com motores TAG-Turbo. Já no século XXI, e de novo com Porsche, regressa às vitórias na Fórmula E.

Neste ano, e com o lançamento do TAG Heuer Carrera Porsche Chronograph, a parceria entre as marcas torna-se oficial - e o relógio é a prova da união, como explica, em comunicado a Tag Heuer. Visível na luneta está a inscrição Porsche, e a inconfundível fonte (tipo de letra) da marca alemã foi também utilizada nos índices. O vermelho, preto e cinzento característicos, que também relembram modelos históricos da Heuer, estão presentes por todo o relógio. Também visível através do fundo de caixa transparente, a massa oscilante que foi redesenhada em homenagem ao célebre volante da Porsche, com as impressões "Porsche" e "TAG Heuer". Em duas versões, com correia em pele ou com pulseira em aço, e na expectativa de ver os amantes dos relógios ao volante dos carros. E vice-versa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG