Dotado de imensa tecnologia e comodidades para todos os passageiros, o topo de gama reúne o que de melhor

viver

Mercedes-Benz Classe S 400d: no "olimpo" dos automóveis

O Classe S poderá ser atualizado para se conduzir de forma autónoma (Nível 3) em breve e até estacionar-se sozinho sem supervisão humana.

Poucos automóveis reúnem tanto consenso como o Classe S em matéria de qualidade, requinte e de tecnologia. Apresentado usualmente como o pináculo da Mercedes-Benz nos mais diversos campos, o Classe S evolui na sua nova geração, apesar de um visual que não se afasta do classicismo que os clientes destas berlinas de representação procuram. Apesar disso, as suas linhas foram afinadas com a eficiência aerodinâmica em perspetiva (arrasto de apenas 0,22 Cx), para não afetar os consumos e as emissões. A longa distância entre eixos (3106 mm) e a grande largura dão-lhe pose senhorial mas, sobretudo, permitem-lhe dispor de um habitáculo espaçoso e altamente tecnológico.

Em destaque está o mais evoluído sistema MBUX de infoentretenimento que é controlado a partir do grande ecrã "flutuante" vertical que ocupa o espaço entre os dois passageiros da frente. Tudo é controlado, de forma simples e intuitiva, naquele ecrã de 12.8, podendo os ocupantes emitirem também comandos por voz para diferentes funcionalidades. Com maior capacidade de processamento, dispõe de aprendizagem que lhe permite evoluir ao longo do tempo, além de possibilitar o controlo de diferentes dispositivos "inteligentes" em casa ainda durante a viagem. Já os bancos oferecem uma nova dimensão de conforto e de serenidade, dispondo os dianteiros de acerto elétrico de múltiplas vias, aquecimento, ventilação e dez tipos de massagem, num "spa sobre rodas" com poucos rivais.

Atrás, para quem preferir ser "levado" e não conduzir, espaço não falta para as pernas e em largura, com os bancos a disporem de ajuste elétrico e também de regalias de conforto, como o aquecimento, tablet pessoal e ar condicionado dedicado. A insonorização do habitáculo e a iluminação interior fornecem um ambiente irrepreensível, num compêndio de funcionalidades e de tecnologias dos tempos modernos.

Tapete voador

Para os que preferem assumir o volante (também novo com comandos táteis integrados), a Mercedes-Benz guardou uma boa surpresa na forma de um comportamento que, sem ser desportivo, revela agilidade inesperada para mais de duas toneladas de peso. Graças à suspensão pneumática adaptativa, o amortecimento altera-se consoante o modo de condução escolhido, mas a suavidade e capacidade de absorção do mau piso é referencial. Mesmo no modo mais desportivo do Dynamic Select (modos de condução), a suspensão nunca se revela desconfortável. Por outro lado, é nesse que os diferentes parâmetros da suspensão, atuação da caixa automática 9G-Tronic, direção e resposta do motor expressam a sua orientação para uma faceta mais dinâmica, controlando bem a transferência de massas quando curva de forma mais rápida. Mesmo nesses momentos predomina o conforto e a noção de controlo da situação, inspirando confiança e robustez, não só por culpa da tração integral 4MATIC, mas também pela vasta panóplia de assistentes de condução que zelam, em segundo plano, pela segurança dos ocupantes. Poder-se-á até assumir que antes de um imprevisto acontecer, já o Classe S o antecipou por via dos seus múltiplos sensores.

Sob o longo capot esconde-se o motor turbodiesel de seis cilindros em linha que dá "vida" à versão S 400 d 4MATIC. Com 330 CV de potência e 700 Nm de binário máximo, disponível logo às 1200 rpm, este Classe S consegue ser tão intenso na aceleração (0 aos 100 km/h em apenas 5,4 segundos) quanto eficiente, moldando o seu carácter consoante a intenção do condutor e dos modos de condução. Coadjuvado pela caixa automática 9G-Tronic, que efetua uma ótima gestão do binário a cada momento o S 400 d avança com ímpeto em modo "Sport" ou de forma descontraída em "Eco", para condução mais eficiente em termos de consumos e emissões de CO2 (médias homologadas de 7,0 l/100 km e de 184 g/km, respetivamente).

Porém, esta experiência de "primeira classe" tem um custo. Ou vários, atendendo às inúmeras possibilidades de configuração e de equipamentos disponíveis. De base, o S 400 d 4MATIC tem um custo de 135 500€, mas a partir daí a fatura será sempre a subir com a adição de opcionais.

Eis dois exemplos: a Linha AMG, composta por vidros escurecidos, linha estética exterior e travões de maior diâmetro à frente, tem um custo de 7500€, enquanto o Pack Premium Plus, que engloba itens como os bancos dianteiros climatizados e com massagem, realidade aumentada no Head-up Display, bancos traseiros aquecidos e sistema de som da Burmester, entre outros, vale 15 900, atingindo, na unidade ensaiada, um total de 172 983€. No entanto, é também isso que lhe vale um lugar cativo no "olimpo" dos automóveis excelsos.

Motor 24
pjunceiro@globalmediagroup.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG