Audi elétrico de face desportiva

Abre-se uma nova etapa no espírito de eletrificação na Audi. O novo e-tron GT assume o estatuto de topo de gama sem emissões com autonomia até 488 quilómetros e um "cheirinho" de Porsche.

Com um visual esculpido pela aerodinâmica, este coupé de quatro portas revela uma identidade singular e diferenciada dos demais modelos da Audi, tendo por base a plataforma PPE, também utilizada pelo Porsche Taycan. Aliás, o e-tron GT tira algum partido do trabalho de desenvolvimento feito pela marca conterrânea, obtendo ensinamentos em matéria de ergonomia e de construção. A esse respeito, indique-se que os motores, a bateria (da LG) e o sistema de suspensão são os mesmos que a Porsche utiliza no seu desportivo.

Visualmente, a ideia foi reinterpretar o conceito clássico de um "gran turismo", criando um modelo de estética mais impressionante, com destaque para uma renovada grelha "Singleframe", de disposição invertida, e para o formato musculado na secção traseira, como se percebe pelos "ombros" largos acima das cavas das rodas.

O interior apresenta-se com um foco na tecnologia, refinamento e qualidade de construção, não faltando um ecrã digital para o painel de instrumentos e um tátil de 10.1 polegadas para o infoentretenimento. Num reforço da sustentabilidade, a Audi explica que o e-tron GT dispensa o couro no seu interior, com revestimentos produzidos a partir de uma elevada percentagem de materiais reciclados.

RS elétrico em estreia

O e-tron GT tem um conceito de dois motores elétricos para tração integral, dispondo de dois níveis de potência, a mais efusiva das quais sob a insígnia "RS", sendo a primeira vez que a mesma é aplicada num elétrico da Audi, com elementos estéticos diferenciados e alguns acertos de chassis para maior desportividade. Nesta versão, são oferecidos 440 kW (598 CV) de potência e 830 Nm em utilização base, podendo chegar aos 475 kW (646 CV) na função "Launch Control" por um máximo de 2,5 segundos. Já a versão mais acessível, a e-tron GT quattro, terá 350 kW (476 CV) de potência e 630 Nm de binário, embora tal como suceda com o RS também disponha de um incremento temporário na potência em modo "Launch Control" para 390 kW (530 CV). A bateria tem uma capacidade útil de 85 kWh, para uma autonomia estimada de 488 quilómetros no e-tron GT quattro e 472 quilómetros no RS e-tron GT.

O sistema elétrico assenta numa voltagem de 800V e velocidades de carregamento bastante elevadas. Começando em corrente alternada (AC), a 11 e 22 kW, até à corrente contínua (DC), até aos 270 kW, com que bastariam cinco minutos para se obter uma autonomia em redor dos 100 quilómetros. Os preços começam pouco abaixo dos 110 mil euros para o e-tron GT quattro, chegando ao mercado nacional no final de março.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG