7 dias, 7 propostas por João Adelino Faria

1. Passeio
Alto Alentejo
Celebrar o 25 de abril
Óscares na RTP
Pizzeria Lupita, Lisboa
Domingo, 25 de abril

Começo de uma semana em que celebramos a liberdade e o trabalho. Por isso, esteja em que circunstância estiver, escolha a paisagem de que mais gosta, olhe o horizonte e RESPIRE PROFUNDAMENTE. Isso mesmo, a minha sugestão é simplesmente respirar, algo que muitas vezes nos esquecemos de fazer. Por mim escolho o Alentejo, o meu Alto Alentejo, que está nesta altura mais bonito do que nunca: árvores em flor, campos verdes salpicados de amarelo e um cheiro efémero deslumbrante.
Depois, onde quer que esteja, celebre hoje algo que por vezes temos também como garantido, mas que nunca está: a nossa liberdade!
Não se esqueça, no entanto, de que só seremos livres quando estivermos livres deste vírus. Por isso respeite os outros cumprindo sempre as regras de segurança.
À noite, porque não fazer uma noitada de passadeira vermelha e acompanhar a cerimónia dos Óscares na RTP? E na companhia de dois grandes profissionais: Catarina Furtado e Mário Augusto.
Acompanhe tudo com a magnífica piza da Lupita Pizzaria, em Lisboa, e verá como as pizas não são mesmo todas iguais!

2.Teatro
Catarina e a beleza de matar fascistas
Peça encenada por Tiago Rodrigues,
D.Maria II;
Generation, HBO
Restaurante ISCO (Lisboa)

Os teatros estão abertos!!!!
Hoje é último dia para ver Catarina e a Beleza de Matar Fascistas no Dona Maria II. Uma peça em que nos questionamos se há lugar para a violência na procura de um mundo melhor. Texto e encenação de um génio dos palcos: Tiago Rodrigues.
Já agora, se este espetáculo está esgotado, porque não fazer mais sessões? Afinal se há mais procura vamos dar mais oferta ao público sedento de bom teatro.
Se ficar em casa espreite uma série notável sobre as novas gerações. Uma forma de entender melhor os adolescentes e jovens adultos desta geração. Porque é que vivem num mundo bem mais difícil e confuso: Generation, para ver na HBO.
Se estiver em Lisboa passe antes pelo ISCO, ali para os lados da Avenida da Igreja. Vai ser difícil resistir aos bolos de cardamomo e canela... assim que sentir o cheiro é só deixar-se levar até à porta da padaria.

3.Filme
Nomadland
Restaurantes: Essencial e Taberna do Calhau (Lisboa) e Gadanha (Extremoz)
Terça, 27 de abril

É bom poder começar a semana com a possibilidade de jantar fora e ir ao cinema. Já podemos, mas não se esqueça dos cuidados necessários: máscara e distanciamento.
Vamos ajudar a cultura e os restaurantes, pois são dois dos setores que mais sofreram com o encerramento por causa da pandemia.
Sugiro por isso ir ao cinema ver um dos filmes candidatos aos Óscares, Nomadland. Soberba interpretação de Frances McDormand e uma realização surpreendente de Chloé Zhao.
Antes recomendo, se estiver em Lisboa e tiver possibilidade, jantar no restaurante Essencial onde a simplicidade do André Lança Cordeiro mistura de uma forma mágica os melhores produtos. Uma cozinha simples e sofisticada numa experiência gastronómica extraordinária.
Já agora aproveite e tenha um fim de tarde nostálgico no Bairro Alto, para ajudar os pequenos negócios e fazer o coração da nossa capital voltar a bater ainda com mais força!
Em alternativa pode ir até à Taberna do Calhau, onde o melhor é não pedir nada e deixar que o Leopoldo lhe traga o que lhe apetecer para a sua mesa.
Já agora, se tiver a sorte de estar no Alentejo, experimente (ou regresse) a essa instituição da comida que é a mercearia Gadanha em Estremoz. E não se esqueça de parar pelo caminho ...para cheirar as laranjeiras em flor.

4.Padarias
Pão do Pastor e Pão do Beca
Restaurantes: Âmago e Estrela da Bica (Lisboa)
Mesa de Lemos (Viseu)
Quarta-feira, 28 de abril

Porque não começar o dia com uma encomenda de bom e verdadeiro pão. Dois "padeiros" que aproveitaram a pandemia, repensaram as suas vidas e criaram pequenos negócios que são verdadeiros diamantes. Fazem e entregam em casa um verdadeiro pão de autor, com 24 a 36 horas de fermentação.
Imagine um belo pão de algas, alecrim, queijo de cabra, chocolate, de curcuma ou o mais tradicional trigo ou centeio. A imaginação e a qualidade não têm limites no Pão do Pastor e no Pão do Beco.
Se estiver em Lisboa, há dois pequenos restaurantes familiares que são ainda dois segredos: Âmago e Estrela da Bica. Aqui a comida caseira e do mundo juntam-se e ganham uma nova dimensão.
Se estiver para os lados de Viseu porque não dar um saltinho até Silgueiros e jantar ou almoçar com vista para uma das mais belas vinhas. Entrar no restaurante Mesa de Lemos é entrar numa obra de arte da arquitetura moderna e jantar ao ritmo de um grande maestro da cozinha que é o Diogo Rocha.
Depois disto tudo porque não ler um livro notável: American Dirt, de Jeanine Cummins Uma mãe e um filho lutam pela sobrevivência num cenário que nos ensina muito sobre a efemeridade da nossa vida mas também sobre a força que nos pode ajudar a mudar o nosso rumo, por mais terrível e inesperado que ele seja.

5.Livro
Da Meia-noite às Seis
Teatro: Assassina da Roda
Álbum: Sweet Solitiude de Tiago Sousa
Quinta-feira, 29 de abril

Estreia hoje A Assassina da Roda com a magnífica Maria Henrique no Teatro da Trindade em Lisboa. Corram para ver!!
No Alentejo pode ir a Portalegre para algo completamente diferente: ciclo In-ti-mis-ta para ver e escutar o novo álbum de Tiago Sousa, Sweet Solitude, no CAEP. Música sem barreiras de género ou fronteiras, nada melhor para continuar a celebrar esta nossa liberdade através de um dos músicos mais originais do nosso tempo.
Embalados assim leiam por favor o último livro da Patrícia Reis. Da Meia-Noite às Seis é como ver um filme, mas com a magia maior das palavras bem escritas. Sem pedir desculpa a escritora leva-nos para o mundo do jornalismo, da pandemia, do amor, da morte e do preconceito. Temas que já conhecemos de cor mas que aqui são reinventados ao ponto de nos fazerem parar, chorar, rir e sonhar. Tudo ao mesmo tempo! Que saudades que eu tinha de um livro assim, daqueles que não é possível parar de ler até chegarmos à palavra FIM.

6.Filme
The Mauritanian
Restaurante: Kanazawa (Lisboa)
FIlme: The Sound of Metal
Sexta-feira, 30 de abril

Sexta-feira deveria ser noite de sushi. Em Portugal há dois mestres nesta arte: o Paulo Morais no Kanazawa e o Lucas Azevedo no Praia do Parque.
Ter o privilégio de comer o que aquelas mãos, energias e espíritos fazem é uma verdadeira dádiva, e que deve ser experimentada pelo menos uma vez na vida.
Antecipação de fim de semana é também o dia perfeito para ver The Sound of Metal. Um filme brutal em que Riz Ahmed é uma verdadeira estrela numa história em que percebemos a importância de ouvir, e como assustador ou maravilhoso o silêncio pode ser.
Para ver também The Mauritanian, regresso exemplar de Jodie Foster injustamente esquecida (e o filme também) pela academia de Hollywood na corrida aos Óscares. Talvez porque mostra a hipocrisia dos norte-americanos no pós-11 de Setembro.

7.Restaurante
Pap'Açorda
Royal Cocktail Clube
Restaurante Euskalduna (Porto)
No Rule, No Rules,
Netflix
Sábado, 1 de maio

Nada como começar o dia, se estiver em Lisboa, a passear ao longo do Tejo e depois passar pelo mercado dos produtores na Praça de São Paulo. À noite este pode ser o dia de Pap"Açorda. Que bom podermos voltar a jantar naquela sala gigante com as janelas abertas, o cheiro do rio, as luzes da cidade e os petiscos únicos da Manuela Brandão.
Se estiver no norte tem sempre Matosinhos (peixe do melhor do mundo), no Porto o passeio obrigatório pela Foz para ver aquele mar bravo lindo e porque não beber um cocktail no Royal Cocktail Club.
Ao jantar há quase um destino obrigatório: Euskalduna. Desde a primeira vez que se entra na casa do Vasco Coelho Santos sentimos sempre muita vontade de lá voltar rapidamente. E como é dia 1 de maio, que tal homenagear alguns dos trabalhadores mais afetados pela crise? Escolha um restaurante no seu bairro, um teatro, uma feira, o que seja, mas ajude se puder quem esteve sem trabalho e rendimento durante tanto tempo. Vamos todos trabalhar para ajudar este país a recuperar. À noite que tal ler um livro que mostra os benefícios de dar mais liberdade aos trabalhadores? No Rules Rules! Uma viagem polémica ao mundo da Netflix que nos faz questionar o futuro laboral. Tenha uma boa semana!

Propostas por João Adelino Faria, jornalista RTP

Mais Notícias

Outras Notícias GMG