Vitamina D pode evitar complicações graves e a morte em doentes com covid-19

O autor do estudo defende que tendo em conta a deficiência desta vitamina em todo o mundo, especialmente nos meses de inverno, "é prudente que todos tomem um suplemento para reduzir o risco de infeção e complicações".

A presença de vitamina D em quantidades suficientes no organismo pode reduzir complicações graves e até a morte em doentes infetados com o novo coronavírus. Esta é a conclusão de um estudo publicado na revista científica Plos On.

A investigação tem por base a constatação de que os pacientes internados e que tinham valores superiores a 30 ng/ml de 25-hidroxivitamina D apresentaram menos consequências graves da doença, como inconsciência, hipoxia (baixa concentração de oxigénio) e até morte.

"Este estudo fornece provas diretas de que ter vitamina D suficiente pode reduzir as complicações [da doença], incluindo a libertação de muita proteína no sangue muito rapidamente e, em último caso, a morte por covid-19", explica o autor, Michael F. Holick, professor de Medicina, Fisiologia e Biofísica e Medicina Molecular na Escola de Medicina da Universidade de Boston, nos EUA.

O estudo partiu da recolha de amostras de sangue de 235 pacientes hospitalizados com a doença em que foi medida a quantidade de vitamina D presente no organismo.

O sangue foi também testado para um marcador inflamatório (proteína C reativa) e para o número de linfócitos. Os investigadores compararam todos esses parâmetros em doentes com deficiência de vitamina D com aqueles que tinham vitamina D em níveis considerados suficientes.

Nos doentes com mais de 40 anos, os cientistas descobriram que os que tinham vitamina D suficiente apresentavam 51,5% menos probabilidade de morrer da infeção em comparação com doentes que apresentavam défice da vitamina.

Holick, que apresentou um estudo em que defende que uma quantidade suficiente de vitamina D pode reduzir o risco de contrair o coronavírus em 54%, acredita que o facto de a vitamina D ser suficiente também ajuda a combater os efeitos mais graves da covid-19 e de outros vírus que causam doenças do trato respiratório superior, incluindo a gripe.

"Há uma grande preocupação de que a combinação de uma infeção por gripe e uma infeção viral coronária possa aumentar substancialmente as hospitalizações e a morte devido a complicações [resultantes] dessas infeções virais", diz o médico, citado pelo jornal ABC.

"Como a deficiência e a insuficiência de vitamina D são tão comuns em crianças e adultos nos Estados Unidos e em todo o mundo, especialmente nos meses de inverno, é prudente que todos tomem um suplemento de vitamina D para reduzir o risco de infeção e complicações por covid-19 ", recomenda.

Mais Notícias