Máscara portuguesa anuncia capacidade de inativar o vírus

A máscara MOxAdTech foi certificada pelo Instituto de Medicina Molecular.

A máscara MOxAdTech já estava à venda desde abril mas agora, após ter superado com os testes realizados pelo Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM), é anunciada como "a primeira máscara com capacidade de inativar o vírus que causa a covid-19".

Totalmente made in Portugal, a MOxAd-Tech resultou inicialmente da cooperação entre a fabricante Adalberto, a retalhista de moda MO da Sonae Fashion, o iMM, o centro tecnológico CITEVE, e a Universidade do Minho e assume-se, assim, como a primeira máscara que inativa o vírus SARS-CoV-2.

"A máscara beneficia de um revestimento inovador que neutraliza o vírus SARSCoV-2 quando este entra em contacto com o tecido, efeito que se mantém mesmo depois da realização de 50 lavagens", explica o comunicado enviado à imprensa. "Como resultado, a máscara oferece um elevado nível de proteção adicional, uma vez que tem a capacidade de inativar o vírus."

Citado no comunicado, Pedro Simas, investigador e virologista do iMM, coordenou os testes que qualificam o tecido como tendo propriedades anti-virais e afirma que "de forma simplificada, estes testes consistem na análise do tecido após o contacto com uma solução que contém uma determinada quantidade de vírus, cuja viabilidade se mede ao longo do tempo. Os testes à máscara MOxAdtech revelaram uma inativação eficaz do SARS-CoV-2 mesmo após 50 lavagens, onde se observou uma redução viral de 99% ao fim de uma hora de contacto com o vírus, de acordo com os parâmetros de testes indicados na norma internacional ISO18184:2019".

Susana Serrano, CEO da Adalberto, acrescenta: "A máscara MOxAd-Tech é inovadora a nível mundial, pois inclui diferentes camadas de proteção e um tratamento repelente à água que permite neutralizar bactérias e vírus quando estes entram em contacto com a máscara".

Mais Notícias