Hospital de São João garante que "nenhum doente ficou sem tratamento" devido a equipamento parado

O jornal Público noticia na edição de hoje que o Hospital de "São João tem máquina para tratar cancro parada há meses" por "falta de licença". Algo que o hospital não nega, mas garante que o mesmo está em fase final.

O Hospital de São João, no Porto, assegurou, este sábado, que "nenhum doente ficou sem tratamento" de radioterapia e que "os tempos de resposta foram garantidos" durante o processo de certificação que deixou parado durante meses um novo equipamento.

"Foram assegurados os tratamentos e os tempos para tratamento de radioterapia dos doentes do Centro Hospitalar de São João (CHUSJ) através de protocolo de colaboração com o IPO-Porto e, sempre que necessário, com contratos de externalização para prestadores privados. Desta forma, nenhum doente ficou sem tratamento e os tempos de resposta adequados foram garantidos", garantiu o Conselho de Administração numa nota de imprensa.

O São João afirma que a certificação do novo "acelerador linear" para o tratamento de radioterapia a doentes com cancro, cujo contrato "foi estabelecido em outubro de 2017", "está em fase final", pelo que se espera que "entre em funcionamento muito em breve".

O jornal Público noticia na edição de hoje que o Hospital de "São João tem máquina para tratar cancro parada há meses" por "falta de licença". Segundo o diário, o "Laboratório de Proteção e Segurança Radiológica diz que o processo de licenciamento se arrastou porque a unidade de saúde não pagou a tempo".

O hospital esclarece ainda que, durante o processo de certificação por aquele laboratório, iniciado em outubro de 2017, se "verificou uma divergência de análise de execução de contrato, que motivou que o pagamento da segunda de três tranches ocorresse mais tarde do que o planeado".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG