Diretor do serviço de pediatria do Garcia de Orta pediu contratação de pediatras

A proposta colocada ao presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta deve ter seguimento, porque, segundo o diretor demissionário do serviço de pediatria, a urgência de pediatria está condenada ao fracasso

O diretor demissionário do serviço de Pediatria do Hospital Garcia de Orta (HGO), Anselmo Costa, fez saber esta quarta-feira, no parlamento, que pediu ao novo conselho de administração a contratação de pediatras para aquela unidade hospitalar de Almada, em Setúbal.

"As perspetivas é que vamos reforçar. Têm de entrar entre dois a três elementos em dois meses, depois mais outros dois ou três, nos próximos, e outros tantos nos próximos seis meses", adiantou, o diretor demissionário desde outubro de 2018.

No âmbito de uma comissão parlamentar de Saúde, Anselmo Costa explicou que a proposta colocada ao presidente do conselho de administração HGO, Luís Manuel Martins Amaro, deve ter seguimento, porque, segundo o mesmo, o serviço de urgência de pediatria está condenado ao fracasso.

De acordo com o diretor, há um compromisso que o conselho de administração quer firmar por escrito.

Recorde-se que o Conselho de Ministros aprovou a 18 de abril a substituição do Conselho de Administração do Hospital Garcia de Orta, conforme noticiou o DN.

O Governo nomeou Luís Amaro como o novo presidente do Conselho de Administração, que substitui Daniel Ferro.

Três médicos para cerca de 150 doentes

O responsável pelo serviço de pediatria e da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta ainda considerou que 2018 foi um "annus horribilis", com pessoas a entrar e sair, alertando para existência de três médicos para cerca de 150 doentes, durante o dia.

De acordo com a ministra da Saúde, Marta Temida, no último ano deixaram esta unidade hospitalar nove pediatras.

A 4 de abril, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) advertiu que a urgência pediátrica do Hospital Garcia da Orta, em Almada, no distrito de Setúbal, estava em risco de encerrar a partir de 13 de abril, devido à falta de médicos.

Também a Ordem dos Médicos alertou para o risco de a urgência pediátrica encerrar alguns dias.

Seis dias depois, o Hospital Garcia da Orta garantiu que estavam a ser tomadas medidas para combater a falta de médicos na urgência pediátrica, garantindo serviços mínimos, com três especialistas.

Na altura, a Comissão de Utentes da Saúde do Conselho do Seixal alertou para a falta de pediatras no Hospital Garcia de Orta e defendeu reabertura dos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) nos centros de saúde do concelho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG