Cobra de 62 anos põe sete ovos, apesar de não estar com macho há décadas

A pitão-real, a mais velha do mundo em cativeiro, pôs os sete ovos numa idade em que normalmente estas cobras já não são férteis. Além de não estar com um macho há duas décadas. Os especialistas procuram explicações.

Especialistas de um zoológico dos Estados Unidos estão a tentar descobrir como uma cobra pitão-real de 62 anos pôs sete ovos, apesar de não estar perto de um macho há pelo menos duas décadas e ter uma idade tão avançada.

Três dos ovos da cobra do zoológico de Zoo de Saint Louis permanecem numa incubadora, dois foram usados para testes genéticos e as cobras dos outros dois não sobreviveram, relatou o jornal St Louis Post-Dispatch. Os ovos foram postos em 23 de julho e devem chocar daqui a cerca de um mês.

iv>

Mar

k Wanner, diretor de herpetologia do zoológico do Missouri, disse que não é habitual, embora aconteça, as pitões reproduzirem-se assexuadamente. As cobras, por vezes, também armazenam esperma para atrasar a fertilização.

A amostra genética irá permitir saber se os ovos foram reproduzidos sexualmente ou assexuadamente, denominada partenogénese (embrião sem fertilização).

A única outra pitão-real no herpetário do zoológico é um macho de cerca de 31 anos. Macho e fêmea não estão expostos ao público.

A cobra fêmea - conhecida apenas como 361003 - pôs um conjunto de ovos em 1990 que pode ter sido concebido com o macho porque, na época, as cobras eram colocadas juntas em baldes enquanto as gaiolas eram limpas.

Também é invulgar porque as pitões geralmente deixam de pôr ovos muito antes de chegarem aos 60 anos, disse Wanner.

"Definitivamente será a cobra mais velha que conhecemos na história" a pôr ovos, disse Wanner, observando depois que esta é a cobra mais velha já documentada num zoológico. Foi um proprietário privado que ofereceu a fêmea ao zoo norte-americano em 1961.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG