Adolescentes britânicos têm menos relações sexuais e passam mais tempo online

Hábitos dos jovens mudaram nos últimos dez anos, afirma estudo realizado no Reino Unido

Os adolescentes britânicos têm menos relações sexuais e bebem menos do que em 2007, preferindo em vez de isso passar tempo com a família e ter relações românticas online - e estes serão alguns dos motivos da queda no número de gravidezes adolescentes.

Estas são as conclusões de um estudo realizado pelo British Pregnancy Advisory Servive (BPAS) que questionou mil jovens com idades entre os 16 e os 18 anos. Dois terços dos jovens afirmou nunca ter tido relações sexuais e 24% admite nunca ter bebido álcool.

Nas suas conclusões, os investigadores do BPAS afirmam que esta geração parece ter adolescentes "mais sensíveis, mais focados na educação e nas carreiras futuras e que quer evitar a gravidez". Mais de 80% dos jovens inquiridos afirmam que uma das suas prioridades é ter boas notas nos exames e ter sucesso na carreira que escolherem. Em comparação: apenas 68% têm entre as prioridades passar tempo com os amigos. Os jovens também parecem mais interessados em passar tempo com a família e muitos dizem que é difícil conciliar tempo para os estudos e para os amigos.

Mais tempo online, menos gravidezes

Apesar disso, explica a BBC, o estudo mostra que os jovens passam cerca de cinco horas por dia online, apenas por lazer e sem ser por causa do estudo. Um quarto dos jovens afirmou que passa tanto tempo cara a cara com os amigos como o tempo que passa como eles online. A transferência das relações para o meio virtual está diretamente relacionado com a diminuição das gravidezes adolescentes, uma vez que aqueles que os jovens que socializam regularmente cara a cara com os amigos têm mais probabilidade de ser sexualmente ativos.

No Reino Unido, as taxas de gravidez adolescente têm vindo a cair nos últimos 20 anos, como consequência de uma série de políticas de educação sexual e planeamento familiar. Em 1969, a taxa de gravidez entre as raparigas dos 15 aos 17 anos era de 47 em mil; em 2016 essa taxa era apenas de 18,9.

Portugal acompanha tendências europeias

Esta é, aliás, a tendência nos países europeus. Em Portugal, uma média de seis adolescentes dão à luz todos os dias. Segundo dados de 2015, os últimos disponíveis, nasceram 2295 bebés de mães entre os 11 e os 19 anos. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), este número foi o mais baixo de sempre, desde o final da década dos anos de 1970. No início desta década, a média de adolescentes que dava à luz atingia as dez por dia.

No que toca aos consumos, também em Portugal o consumo de álcool e tabaco entre os jovens até aos 16 anos tem vindo a diminuir, de acordo com um estudo realizado entre 2011 e 2015.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG