Estreia de 'Cosmos' provoca revolta de grupos religiosos

Cristãos, testemunhas de Jeová e creacionistas uniram-se nas redes sociais para criticar a "propaganda anti-religiosa" da série documental produzida por Seth MacFarlane, que teve estreia global no domingo.

O primeiro episódio de Cosmos: Odisseia no Espaço chegou aos ecrãs de centenas de países no domingo e, só nos Estados Unidos, conquistou 8,5 milhões de espectadores. Mas nem todos o aplaudiram. Cristãos, testemunhas de Jeová e creacionistas manifestaram-se nas redes sociais contra a teoria, defendida na série científica, de que o universo terá tido origem na explosão do Big Bang e não em Deus.

"Aparentemente, Cosmos pode mentir em televisão. A lua foi criada por Deus. Tal como foi a vida. Por isso sim, sabemos de onde veio a vida", escreveu um utilizador do Twitter. "Querido Cosmos, a origem do universo não é um mistério. Deus pediu a Moisés que escrevesse sobre isso na Bíblia. Devias lê-la qualquer dia", ironizou um outro internauta.

Mas foram várias as fações religiosas que se fizeram ouvir. "O nosso universo inteiro existe porque o nosso pai Deus Jeová e o seu incrível filho Jesus Cristo crearam-no para nós", pode ler-se entre centenas de comentários.

Até ao momento, Seth MacFarlane (Family Guy) e Ann Druyauos, criadores da série, ainda não se pronunciaram sobre as críticas apontadas.

Em Portugal, Cosmos: Odisseia no Espaço tem transmissão assegurada às segundas-feiras, às 23.00, no National Geographic.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG