Corte nos gastos de pessoal "vai ser difícil de cumprir"

A estação pública quer cortar 22 milhões de euros em custos com pessoal, patamar que Alberto da Ponte afirma ser difícil de atingir. A saída de 310 pessoas custaram à RTP 13,5 milhões de euros e geraram poupança de dez milhões.

"Vai ser difícil cumprir a meta" de corte de 22 milhões de euros em gastos com pessoal, "embora estejam a ser estudadas outras possibilidades que não apenas as rescisões", declarou o presidente do Conselho de Administração da RTP, Alberto da Ponte, aquando da apresentação das contas da empresa pública referentes a 2013. Cortes nas regalias, externalização de manutenção são alguma das alternativas de cortes em gastos com pessoal que estão a ser estudados.

Desde setembro de 2012 a janeiro de 2014 saíram, de acordo com os dados revelados por Alberto da Ponte, 310 pessoas no âmbito de processos de rescisões que já custaram à RTP 13,5 milhões de euros e geraram poupança de dez milhões. Se a decisão passará por perder mais de três centenas de trabalhadores para obter poupança semelhante, o presidente justifica que "as contas não podem ser feitas assim, estamos a levar a cabo outras iniciativas em que estamos a tentar fazer cortes", afirmou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG