'Big Brother' contestado por cenas eróticas e homofobia

A 13ª edição do 'Celebrity Big Brother', em Inglaterra, marcada pela excessiva ousadia, deu origem a mais de 300 queixas dos telespectadores. Regulador britânico pondera investigação.

A simulação de cenas eróticas e os comentários homofóbicos estão a marcar a mais recente edição do reality show exibido pelo Channel 5, no Reino Unido, que reúne celebridades numa casa vigiada durante um mês.

"Ser gay não é normal", expressão utilizada pelo ex-pugilista Evander Holyfield, um dos 12 concorrentes, já originou, segundo a Ofcom (entidade britânica de regulação dos media), 52 queixas. Foram ainda registados mais 47 protestos a uma encenação, proposta pela produção do programa, de filmes de adultos.

"A Ofcom vai avaliar todas as queixas antes de decidir se prossegue com uma investigação", disse um porta-voz da entidade reguladora ao jornal The Independent.

Curiosamente, esta é a edição mais polémica, mas também a mais vista, sendo que conquistou mais meio milhão de espectadores relativamente à edição anterior.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG