Avós que vendem sexo fazem furor na TV inglesa

O 'doc reality' mostra o quotidiano de três prostituras com idades entre os 57 e os 85 anos. Este é o 'assunto do momento' no twitter.

"Ficava sozinha e gostava de ter a companhia de um homem, mas se quer que lhe diga a verdade, faço-o porque adoro sexo. Quando penso nisso sinto-me logo bem." Quem o garante é Sheila Vogel-Coupe, de 85 anos. Aquela que já é apelidada de "a prostituta mais velha do Reino Unido" é uma das avós que dá a cara e o corpo a My Granny the Escort, um doc reality do Channel 4 britânico que quer fazer "um retrato sincero e íntimo de três mulheres inglesas de idade mais avançada que vendem sexo", lê-se no site oficial do programa.

O trio que protagoniza esta produção realizada e narrada por Charlie Russell é ainda composto por Beverley, trabalhadora sexual de 64 anos, que se iniciou na profissão há 20 anos, depois de o marido ter perdido todo o património familiar devido ao vício do jogo, e Sophie, de 57, que em My Granny the Escort protege a sua identidade com uma máscara e que foi viver recentemente para uma zona rural de Inglaterra, onde pode dedicar-se sete dias por semana à atividade que a faz feliz.

"A minha família não percebe nada desta profissão. Por isso, sim, deve ter ficado chocada. Mas eu sinto orgulho por, na minha idade, preservar o meu corpo tão bem e saber que os homens o adoram. Ainda não estou pronta para dizer chega", admitiu Sheila Vogel-Coupe, que cobra 250 libras (cerca de 308 euros) por hora e tem em média uma dezena de serviços por semana.

My Granny the Escort estreou-se no Channel 4 no final de maio e tornou-se no trending topic (ou assunto do momento) no Twitter, reunindo quase 24 mil tweets, com 842 por minuto.

Leia mais na edição impressa de hoje do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG