Comissão de Trabalhadores questiona eventuais contratações

A Comissão de Trabalhadores (CT) da RTP questionou hoje a administração da empresa sobre eventuais novas contratações no seguimento da entrada de Nuno Santos para director de informação.

"É fundamental que o Conselho de Administração esclareça se à opção pela contratação externa de um director de informação se vão juntar outras contratações. Não podemos ignorar que esta administração está a meses de terminar funções, e isso é também uma das razões para que a solução da substituição da direcção de informação fosse encontrada internamente", diz comunicado hoje emitido pela CT. O órgão, que diz que "não se pronuncia sobre as qualidades profissionais de Nuno Santos, nem faz juízos de valor" sobre o profissional contratado à SIC, cita notícias veiculadas pela imprensa para realçar que a escolha de Nuno Santos não foi consensual na administração da empresa.

A CT aborda ainda o artigo publicado na quinta-feira pela revista Visão resultante do contributo de 55 empresários e gestores de grandes empresas para um programa de Governo económico do PSD e que, no que refere à RTP, aponta como perspectiva privatizar a RTP1, concessionar a RTP2, fundir a RTP Internacional com a RTP África e acabar com a RTPN. "Aqueles que defendem a privatização do operador público de rádio e televisão estão atentos, e imediatamente apareceram a justificar a necessidade em privatizar a RTP. Isto só acontece porque o Conselho de Administração parece alheado da situação do país e das restrições impostas aos trabalhadores e à empresa", diz a CT da RTP. O documento questiona ainda o "silêncio do ministro da tutela", Jorge Lacão, em todo o processo.

"Parece que a única medida importante para a consolidação das contas públicas é a redução dos salários dos trabalhadores. Porque não se considera este tipo de contratações como actos de gestão, esses sim, despesistas e causadores do endividamento da empresa?", interroga a CT. Na quarta-feira o Conselho de Redacção da RTP aprovou a entrada de Nuno Santos para director de informação, definindo o jornalista como "um profissional com um historial nas áreas de programação e de informação de televisão, com resultados concretos de sucesso nos vários projectos em que se envolveu". Nuno Santos, que era director de programas da SIC desde 2007, quando saiu da RTP para a estação de Carnaxide, foi na segunda-feira confirmado como diretor de informação da estação pública, depois da saída recente de José Alberto Carvalho para a TVI. A agência Lusa tentou obter uma resposta junto da administração da RTP mas até ao momento tal não foi possível.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG