Para Balsemão saída da Ongoing é "ponto final" na tentativa de controlo da Impresa

O presidente da Impresa, Francisco Pinto Balsemão, afirmou hoje que o anúncio de que a Ongoing vendeu 23,13% que detinha no grupo coloca "um ponto final numa estratégia hostil" de controlo da dona da SIC.

"Esta saída coloca um ponto final numa estratégia hostil de tentativa de controlo de um grupo de comunicação livre e independente. Por outro lado, esta operação revela o interesse que o grupo Impresa desperta junto dos investidores", disse Balsemão num breve comentário.

"A Ongoing Energy (...) alienou 38.857.390 ações correspondentes a 23,13% do capital e direitos de voto da Impresa SGPS, tendo, assim, reduzido a sua participação qualificada nesta sociedade abaixo do limiar dos 2%", refere a dona da SIC em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"A diminuição da participação qualificada verificou-se no dia 17 de janeiro de 2014" e a operação foi feita "mediante a alienação fora de mercado", acrescentou a Impresa.

A Lusa confirmou que a operação teve como intermediário o BPI e que os 23,13% foram vendidos a fundos de investimento internacionais ao preço de 1,30 euros por ação, o que representou um encaixe de 50 milhões de euros.

A venda da participação de 23,13% põe fim a um longo conflito entre a Ongoing, liderada por Nuno Vasconcellos, e a Impresa, de Francisco Pinto Balsemão, que resultou em processos judiciais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG