Repórter despedido por relação amorosa com fonte

O jornal norte-americano descobriu que Jason Felch mantinha um "relacionamento impróprio" com uma fonte de informação.

A publicação norte-americana demitiu, nesta sexta-feira, Jason Felch, um jornalista de investigação, após ter descoberto que este mantinha um relacionamento alegadamente de teor amoroso com uma fonte de informação - que ainda permanece no anonimato - que o ajudou na elaboração de uma história que teve honras de primeira página no jornal.

O editor do diário, Davan Maharaj, afirmou, numa nota publicada no site do jornal, que o relacionamento de Felch com a fonte e a não divulgação dessa relação constituía "um lapso profissional que nenhuma organização noticiosa pode tolerar".

Já o jornalista demitido garantiu, num comunicado à Associated Press, que a história foi publicada semanas antes do início do relacionamento, e que quando começou esse envolvimento deixou de confiar na pessoa como fonte de informação. Contudo, o repórter assume responsabilidade pela sua ação: "Eu responsabilizo-me pelo que fiz", admitiu o repórter no comunicado.

A polémica está relacionada com a peça noticiosa da autoria de Felch, publicada a 7 de dezembro de 2013, onde relatava que a Universidade Occidental, em Los Angeles, não tinha revelado às autoridades a existência de 27 alegados crimes sexuais que terão ocorrido, em 2012, na instituição.

Em 2006, Jason Felch foi finalista do Prémio Pulitzer com uma reportagem sobre o envolvimento dos museus norte-americanos no mercado negro de antiguidades roubadas.

Leia mais na edição de hoje do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG