Google recebe ultimato de países europeus

Quinze meses depois de a empresa informática ter alterado a sua política de privacidade, vê-se agora pressionada para retroceder. O Reino Unido, a Alemanha e a Itália deram até meados de setembro para verem mudanças e, depois, avançam para um processo judicial.

A acusação é tão simples como isto: a nova política de privacidade da Google "viola o compromisso, feito pela empresa, de completa transparência acerca do uso e gerência dos registos", remata um porta-voz do Gabinete de Informação alemão, que reuniu o apoio de Inglaterra e Itália.

Mas a 'gigante' informática já se defendeu: "A nossa política de privacidade respeita a lei europeia a permite-nos criar serviços mais simples e eficazes. Nós comprometemo-nos inteiramente com as autoridades envolvidas neste processo, e continuaremos a fazê-lo".

De qualquer forma, o ultimato foi lançado. Se a Google não reescrever as cláusulas em questão até ao dia 20 de setembro, os europeus irão levar a empresa a julgamento e daí pode resultar uma multa até 500 mil libras (cerca de 580 mil euros).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG