José Eduardo Moniz vice-presidente da Ongoing Media

O presidente da Ongoing anunciou hoje que José Eduardo Moniz é o novo vice-presidente do grupo de media, cujo principal objectivo é a internacionalização e a liderança em países da lusofonia.

Em conferência de imprensa, Nuno Vasconcellos, afirmou que a criação e distribuição de conteúdos foi a via escolhida para aproximação aos mercados da lusofonia, e José Eduardo Moniz o profissional para conduzir o projecto.

"Assumimos a internacionalização como factor determinante deste projecto", afirmou o presidente da Ongoing Strategy e também da Ongoing Media, sublinhando que "a ambição do grupo é ser líder em Portugal e também lá fora".

José Eduardo Moniz, escolhido para vice-presidente da Ongoing Media pela "competência, capacidade e visão estratégica", partilha deste objectivo, que considera "mobilizador".

Portugal é "um país pequeno, cada vez mais exíguo e virado para si mesmo", "demasiado dependente do Estado".

Para o ex-director da TVI, o país "atribui uma excessiva importância aos governos, acabando por isso vítima dos imobilismos que lhe são próprios, das suas perspectivas eleitoralistas e das lógicas tentaculares que os acompanham e que os impelem a tudo e todos querer controlar e condicionar".

"Já é tempo de abandonar a tendência subserviente e reverente a tudo o que vem de fora", criticou, manifestando-se satisfeito por participar na afirmação de um pequeno grupo de media à escala internacional, mas em língua portuguesa.

Nuno Vasconcellos assegurou que para avançar com este projecto o grupo Ongoing é sólido, tem autonomia e capacidade financeira e uma liquidez "invejável".

"Os activos da Ongoing foram avaliados em mais de mil milhões de euros no final do ano passado. No início do ano tínhamos uma liquidez de 102 milhões de euros, dinheiro em caixa. Isto permite ir às compras com calma", afirmou Nuno Vasconcellos.

O presidente da Ongoing justificava assim que esteja pacientemente à espera de uma hipótese para comprar mais acções da Impresa (já detém cerca de 25 por cento), negócio que estaria ainda dependente de um acordo de gestão partilhada, ou de comprar participações na Media Capital.

Por enquanto ainda está tudo em aberto, embora Nuno Vasconcellos não esconda a sua preferência pela Impresa, uma vez que "a prioridade é sempre posições onde a Ongoing já está".

Questionado sobre a forma como encararia ficar à frente da SIC (caso o negócio com a Impresa avançasse), José Eduardo Moniz afirmou-se um profissional "pronto a contribuir para o sucesso da Ongoing tenha que nome tiver".

"Vou defender os interesses da Ongoing, onde quer que esteja e qualquer que seja o nome", afirmou, frisando contudo estar a falar sobre um "cenário hipotético".

O negócio da Ongoing no Brasil passa pelo seu lançamento na imprensa económica até ao final do ano, aproveitando o encerramento do jornal económico Gazeta Mercantil.

A Ongoing já está presente em Angola, através do título económico Expansão, criado em parceria com o grupo angolano Score Media.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG