Investigação visa condicionar poder judicial, diz empresa

O grupo português Ongoing disse esta quarta-feira que as notícias da investigação das autoridades brasileiras sobre a actuação da empresa no Brasil são "falsidades" que visam condicionar a actuação do poder judicial brasileiro

"Consideramos que estas notícias não são verdadeiras e são difamantes. São falsidades", disse à agência Lusa fonte oficial da Ongoing.

O jornal Folha de São Paulo noticia hoje que o Ministério Público do Estado brasileiro de São Paulo abriu uma investigação sobre as actividades da Ongoing, referindo suspeitas de que o grupo tenha usado meios ilícitos para "contornar" a Constituição do Brasil, que proíbe o controlo por estrangeiros de jornais, revistas e emissoras de rádio e televisão no país.

"A notícia é uma tentativa clara de condicionar o poder judicial", afirmou a fonte oficial da Ongoing, garantindo que o grupo "cumpre integralmente a legislação [brasileira] como já foi demonstrado publicamente". A mesma fonte disse ainda que "o caso já está entregue aos advogados".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG