Guerra fictícia entre Portugal e Índia na Wikipédia

Permaneceu cinco anos disponível para consulta na Wikipédia; era extenso - com cerca de 4500 palavras; estava considerado um "bom artigo" pelos editores da enciclopédia online, e relatava uma guerra no século XVII entre Portugal e a Índia, o "conflito de Bicholim", que nunca existiu!

Disponível na versão inglesa da enciclopédia sob o título "Bicholim Conflict", o artigo foi criado em julho de 2007 e descrevia uma pretensa guerra em 1640-1641 entre os governantes portugueses de Goa e o império Maratha, que não passou de um conflito fantasioso, totalmente inventado por utilizador que conseguiu ludibriar os editores da Wikipedia.

Esta fantasia histórica foi situada na "região norte" de Goa, "onde decorreram a maior parte dos combates" e o "conflito" teria terminado "com um tratado de paz que ajudou a forjar Goa como um estado indiano independente". O texto cita 17 referências, mais sugestões de leitura, mostra um mapa da Índia e a fachada de uma igreja supostamente na região.

O texto cultiva alguma moderação e reveste-se de um tom que lhe confere veracidade. O seu autor escreve que o "conflito foi breve e o seu impacto em termos de vítimas e estragos foi pequeno. Talvez por isto, nunca atraiu a atenção de cineastas e investigadores".

A fantasia, elaborada por um utilizador supostamente do Missouri, acabou por ser detetada por outro utilizador do mesmo estado americano, auto-designado como ShelfSkewed (estante distorcida, em tradução literal).

Segundo ShelfSkewed, "após alguma pesquisa", chegou à "conclusão que este artigo é uma fraude - uma fraude elaborada, inteligente, mas nem por isso menos uma fraude". Este utilizador detetou que os ISBN de alguns dos livros citados correspondem a outras obras, até porque as citadas nem existem, e num dos casos remete para um livro infantil sueco.

O caso do "conflito de Bicholim" é apenas mais uma longa lista de entradas sobre temas ou personalidades fictícias, ao ponto da própria Wikipédia dedicar uma entrada ao tema. Nesta, constata-se que a fraude que subsistiu mais tempo foi um texto relativo a Gaius Flavius Antoninus, o suposto assassino de Júlio César, que permaneceu online entre junho de 2004 e julho de 2012.

A Wikipédia considera estes atos como uma "forma de vandalismo e os seus autores podem ser bloqueados", adverte a administração do sítio.

A Wikipédia está disponível em mais de 250 línguas, sendo a principal o inglês, que contabiliza mais de quatro milhões de entradas, segundo a contagem da AFP.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG