Sérvia

Opinião

Pós-verdade: "Kosovo agradece os seis mil soldados portugueses que ajudaram à paz"

Pós-verdade ou a política da pós-verdade, isto é, política pós-factual, é a situação em que o debate público se limita a provocar emoções, evitando factos importantes, assim como detalhes, com repetição de elementos do discurso ou da escrita que procuram atingir um determinado objectivo, particularmente político, enquanto a refutação de tais afirmações com factos concretos é ignorada. É, portanto, a criação de uma atmosfera em que factos objetivos, a verdade, portanto, têm um impacto muito menor na formação da opinião pública que opiniões pessoais e individuais, emoções e reacções públicas. Desta forma, contornando, ou mesmo ignorando a verdade, os preconceitos são muitas vezes encorajados, sendo o melhor alimento para as paixões e emoções que bloqueiam a razão. Os seguintes termos podem também ser usados ​​para explicar a "pós-verdade": a habilidade de mentir ou até mesmo a arte de mentir (The Economist). Na Sérvia e em alguns outros países, este tipo de formação da opinião pública é também conhecida como "Goebbels". Já vão sendo escritos livros (Ralph Keyes, The Post-Truth Era) sobre a era da pós-verdade, onde a desonra, a fraude e o engano reinam. A política da pós-verdade era habitualmente associada a sociedades anti-democráticas e totalitárias, mas tem vindo a tornar-se um conceito sociológico cada vez mais importante nas sociedades democráticas, levantando toda uma série de questões essenciais sobre a democracia moderna, as suas limitações e até mesmo a sua crise.