Pedro Cruz

Pedro Cruz

Quem tem medo de eleições?

As constantes, sistemáticas e dramáticas referências a uma eventual crise política e, consequentemente, à convocação de eleições, sempre que a discussão do Orçamento do Estado chega a um impasse - ou, pelo menos, há uma encenação de impasse, que se destina apenas a esticar ao máximo a corda, de forma a que quem tem menos votos possa condicionar o mais possível quem tem mais votos, maior representatividade e responsabilidade - em nome de uma "estabilidade" obviamente desejável, mas não necessariamente útil, encerram em si um anátema sobre a sociedade, os cidadãos e os eleitores.

Pedro Cruz

Com o devido respeito

Numa campanha eleitoral, que tem várias formas de expressão, entre entrevistas, debates e comícios, arruadas e discursos, é tido como "normal" que se cometam "excessos" de linguagem contra os adversários políticos. No dia da eleição, volta a serenidade e a urbanidade que, por norma, pautam as relações entre políticos dos vários partidos, com mais ou menos diferenças ideológicas, durante todos os outros dias do ano em que não estão em campanha eleitoral.