Mirko Stefanovic

Opinião

O Grande Médio Oriente de amanhã

Depois da retirada das tropas dos EUA e da NATO do Afeganistão e da vitória dos talibãs neste país, é óbvio que todos esses acontecimentos influenciarão fortemente a situação no Médio Oriente. A decisão americana de falar sobre a necessidade de não fazer parte das "guerras alheias" faz com que toda a doutrina americana de defesa da segurança no berço do terrorismo esteja a chegar a um ponto em que as questões sobre qual a nova estratégia ficarão sem respostas claras para o futuro.

Mirko Stefanovic

O restabelecimento das relações israelo-americanas e a política para o Irão

As relações israelo-americanas passaram por fases diferentes durante os últimos dez anos, partindo do desacordo quase declarado sobre questões muito importantes. O discurso do ex-primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu no Congresso dos Estados Unidos contra o acordo nuclear com o Irão, durante a época do ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, não está esquecido entre os democratas americanos, assim como a sua estreita ligação com Donald Trump depois disso.

Opinião

O problema iraniano

A incerteza no Médio Oriente está a tornar esta região muito perigosa, pois nunca foi possível prever realmente o comportamento de todos os intervenientes. Cada ação tinha de ter uma contra-ação, a fim de criar o equilíbrio artificial, usado para acalmar todos os inimigos localmente e às vezes deter ações mais hostis dos adversários. Mas a situação real sempre foi criada na escuridão, longe dos olhos do público, para servir propósitos muito diversos, que às vezes nada têm que ver com a região.

Opinião

Eleições americanas e política externa

A proximidade das eleições nos Estados Unidos está a tornar-se atualmente um elemento importante na formatação da política de Washington em todo o mundo. Os políticos norte-americanos procuram a negociação rápida de qualquer crise no mundo que possa ser terminada com o anúncio de algum tipo de acordo. O próprio anúncio, aliás, está a tornar-se mais importante do que o seu conteúdo. Isso pode ser compreensível se tivermos em mente a sua potencial influência na classificação de um dos candidatos nas próximas eleições presidenciais em novembro.

Opinião

O novo governo de Israel

O novo governo israelita tomou posse recentemente e será um exemplo raro da cooperação entre concorrentes nas últimas três rondas de eleições. Durante a campanha eleitoral, a situação parecia muito diferente entre os líderes dos dois blocos: Benjamin Netanyahu, líder do Likud e Benny Gantz, ex-chefe do Exército e líder do Azul e Branco, um partido do centro. Eles atacaram-se mutuamente, prometendo que nunca iriam cooperar e agora estão juntos no mesmo governo. Isto foi, portanto, mais uma prova muito óbvia de que os ataques na política devem ser considerados como "nada de pessoal".