José Mendes

Opinião

A lei europeia do clima

A agenda mediática não tem dado folga. Entre o recrudescimento da pandemia, pela negativa, e o europeu de futebol, pela positiva, sobra pouca atenção para outros factos, ainda que igualmente importantes. É a regra cruel das ondas noticiosas, que se desenvolvem em espirais autoalimentadas, remetendo para a sombra tudo o resto. Esta semana, passou despercebida a aprovação da Lei do Clima pelo Parlamento Europeu, aquela que é considerada "a lei das leis" por Frans Timmermans, o responsável da política climática da União.

Opinião

Portugal atrativo

São muitos, demasiados, os portugueses que acumulam o duplo pelouro da competência e do ceticismo. São capazes, mas duvidam da sua capacidade; preferem enfatizar o copo meio vazio em detrimento do meio cheio. Talvez porque herdaram uma cultura moldada pelo fechamento, que nos subtraiu o século de tudo e mais alguma coisa, o XX, afastando-nos de realidades outras que seriam um bom comparativo e fariam bem à autoconfiança nacional. Porque acredito que o capaz um dia vencerá o cético, insisto sempre na ideia de que Portugal, por ser pequeno, só pode ter problemas pequenos, e esse mesmo Portugal, por ser hoje muito aberto, pode aceder a uma infinidade de oportunidades e possibilidades de sucesso.

José Mendes

O valor dos "rankings"

O Sporting Clube de Portugal foi campeão da Primeira Liga de futebol profissional. Está de parabéns e é consensual que mereceu o título, porque foi a melhor equipa quando se fizeram as contas finais, segundo uma métrica que é uma medida objetiva de mérito absoluto: o número de pontos, atribuindo 3 à vitória, 1 ao empate e 0 à derrota. A classificação final mais não é do que um ranking, uma ordenação dos clubes participantes de acordo com um critério.

José Mendes

Ação climática global ao rubro

O mundo está à beira do abismo! Foi assim que António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, definiu o desafio que as alterações climáticas colocam ao nosso planeta esta semana, na cimeira de líderes organizada pelos Estados Unidos para debater o tema. E foi mais longe, ao defender que existia o risco de a pandemia de covid desfocar os países e as suas lideranças de um combate que teria de estar já a acontecer, de forma a trazer os níveis de aquecimento global para patamares consentâneos com uma vida sustentável.

José Mendes

Silicon Valley europeu

É sabido que as reviravoltas são tão mais difíceis de operar quanto maior for o atraso. Assim acontece no futebol, mas também no mundo das empresas. Com a pandemia e a guerra dos ventiladores, a Europa foi surpreendida pela insuficiência da sua autonomia industrial. O tema ganhou tração e amplitude, trazendo para a esfera de preocupação dos decisores políticos o atraso do Velho Continente não só na produção de equipamentos, mas também em áreas tecnológicas como o digital. Com as luzes de alarme a piscar, a Europa dá sinais de querer sair deste torpor.