Gago Coutinho

O centenário da I Travessia Aérea do Atlântico Sul: um Estado distraído

Opinião

O centenário da I Travessia Aérea do Atlântico Sul: um Estado distraído

Em 2017, o Presidente da República, numa cerimónia em Belém de celebração da aviação naval portuguesa, anunciava que em 2022 Portugal e o Brasil iriam celebrar o centenário da primeira travessia aérea do Atlântico Sul. A cerimónia decorreu em frente ao monumento inaugurado em 1991, e cuja réplica do "Santa Cruz" (neste momento a única aeronave deste tipo no mundo), simbolizava aquele que foi porventura o mais significativo feito dos portugueses do século XX, de acordo com a opinião de Miguel Mota, então presidente da Assembleia Geral do Aero Club de Portugal e um dos promotores do monumento, e que escreveu ao longo de várias décadas sobre esta questão. Uma das críticas que fez em 1998, e pleno de razão, foi a total ausência do tema na Expo 98, dedicada ao tema "Oceanos".