Eurico Brilhante Dias

Opinião

Por um governo das maiorias

Pode parecer quase paradoxal: mas um governo minoritário do PS pode ser o governo das maiorias. De duas maiorias. Da maioria que defende um aprofundamento do projeto europeu, em particular da União Económica e Monetária (UEM), e da maioria que anseia por uma mudança da política económica em Portugal (provavelmente mais da política de rendimentos do que da política económica). Este (apenas hipótese não confirmada enquanto escrevo) governo do PS só pode ser um governo de duas maiorias se conseguir, ao mesmo tempo que aumenta de forma mais acelerada o rendimento disponível dos portugueses, trabalhar igualmente no reforço da UEM e dos instrumentos de governação da área do euro. Um governo "charneira" de duas maiorias que, quer se goste ou não, só pode ser hoje liderado por uma minoria parlamentar do PS, com entendimentos à esquerda mas também à direita, neste último caso formando com PSD e CDS a maioria europeia que os portugueses (sempre) elegeram.