dor crónica

Beatriz Craveiro Lopes: "Morre-se muito com dor em Portugal e isso é inadmissível nos dias de hoje"

Beatriz Craveiro Lopes

"Morre-se muito com dor em Portugal e isso é inadmissível"

É médica há 44 anos e há 27 fundou uma Unidade de Dor Crónica no Hospital Garcia de Orta, em Almada. O projeto, que é para ele uma causa, evoluiu e hoje Beatriz Craveiro Lopes tem uma equipa "excelente" e diversa a trabalhar com ela no seu Centro Multidisciplinar de Dor. Orgulha-se da «ilha boa» que construiu, equipou e organizou a pensar acima de tudo nos doentes e no seu direito a viver sem dor. A marquesa rosa-choque que chegou há pouco tempo à unidade condiz com o caráter vivo e lutador da médica que queria viver mais cem anos [...]

Saúde

Dor crónica: Acabar com o estigma do "mal necessário"

Estima-se que em Portugal mais de 35% da população sofra de dor crónica, o que significa mais de três milhões de portugueses. A dor crónica é uma epidemia silenciosa, mas grave e complexa. O seu conceito é, igualmente, o seu maior desafio. A dor é individual e subjetiva, pelo que a sua avaliação, diagnóstico e abordagem corretos envolvem grande dificuldade. A multiplicidade e a desvalorização dos sintomas levam a que, na maioria das vezes, o diagnóstico se prolongue no tempo, o que causa impacto, não só no indivíduo - com a evolução da sua dor e consequente deterioração da sua qualidade de vida -, como na sociedade como um todo. A dor crónica constitui uma ameaça para a sustentabilidade dos sistemas de saúde e social.