Daniel Deusdado

Daniel Deusdado

Aeroporto: Lisboa e a farsa ambiental

Pode Lisboa continuar sem construir um novo aeroporto? Talvez não haja tema mais controverso e caro em Portugal, a par da hemorragia TAP. Há quase unanimidade política: tem de haver um novo aeroporto. Apenas PAN e Iniciativa Liberal propõem soluções alternativas ao consenso que se está a formar à esquerda sobre um grande aeroporto internacional em Alcochete. O PSD está com o Governo, ainda na versão Montijo, mas o Montijo acabou - não há estudo ambiental que o consiga viabilizar.

Daniel Deusdado

Nós, os das bicicletas, somos Patrizia Paradiso

Um pequeno exemplo do dia a dia. Trabalho em Matosinhos-Sul e existe uma pequena ciclovia, já perto do mar, que atravessa uma rua (Brito Capelo) com duas faixas para automóveis, sentido único. Uso-a praticamente todos os dias e, naquele ponto, os carros têm de subir para um patamar ligeiramente superior da via - as duas faixas deixam de ser alcatrão para ser granito - para dar prioridade a peões e bicicletas. Há ainda uma placa a sinalizar isso mesmo. Quantas vezes estive a um passo de ser atropelado com a bicicleta? Muitas. E só não fui porque sei o país em que vivo: paro e atravesso apenas quando percebo que o veículo me vai deixar passar. É que, apesar de estarem a velocidade quase zero, alguns condutores aceleram instintivamente, irritados com a existência daquele obstáculo ao seu império de quatro rodas. E já me aconteceu de tudo: perante os meus protestos, param para insultar, e um condutor conseguiu mesmo atirar-me ao chão.

Opinião

O Euro da UEFA é pago pelo Estado Social

1. O cerco de Lisboa, o fim dos ingleses, agora o fim dos alemães, a seguir os outros que também não vêm, os números que vão continuar a crescer em Julho... e de repente todos os negócios que vivem do verão estão já a bater no fundo de forma mais violenta do que em 2020. O que é inacreditável. Como é possível termos conseguido atravessar o ano passado, com prudência e sem vacina, e perder o pé quando estamos a semanas de uma imunidade provável às variantes conhecidas? A resposta é cada vez mais evidente: uma minoria é suficiente para sequestrar a sociedade. Não que as pessoas queiram contrair covid, mas o risco económico é baixíssimo - a doença é pouco grave em 98% dos casos.

Daniel Deusdado

O Infarmed, a indiana e o turismo inglês

Foi algo incompreensível o que se passou na sexta-feira no Infarmed. Perante a galopante subida de casos em Lisboa, o Governo convocou os especialistas. Dois efeitos desejados: deixar-nos mais descansados - há mais casos covid, mas sem novas variantes significativas. E, em consequência, estaríamos mais do que na hora de mudar a matriz de risco. Porque, sem isso, Lisboa recua no desconfinamento. E recuar na capital seria (é) dramático. Notícia em todo o mundo. De novo.

Daniel Deusdado

Poluição dos navios, a 6.ª maior do mundo

Este poderia ter sido um título de primeira página do Expresso - ou pelo menos um destaque relevante - para mais um trabalho de grande alcance do jornalista Micael Pereira. Que o conjunto dos navios do mundo constituam o 6.º maior poluidor mundial, logo a seguir aos cinco maiores países (China, Estados Unidos, Índia, Rússia e Japão), é um dado muito relevante do trabalho do Consórcio Europeu de Investigação Colaborativa, financiado pelo Investigative Journalism for Europe e alguns media europeus. Além do texto na revista do Expresso, há um documentário que vale a pena ver.

Opinião

Barragens = aeroporto. É sempre tarde demais

A indignação é a espuma, eu queria sim o vale, o que existia há 15 anos, o que morreu e agora é uma herança tributária. O vale do Sabor era verde, o vale do Tua uma saudade viva à espera do regresso do comboio na mítica linha, e por aquele Douro reinava um mundo quase intocado, silencioso e maravilhoso, uma parte inalienável do meu país, os rios de fio fino, peixes, aves e pescadores, pontes antigas, árvores de microclima. E também a felicidade. A felicidade dos poucos turistas que contemplavam o que restava de um mundo onde a harmonia entre a geologia e a natureza se exprimiam com aquele poder magnético. A grandeza das gentes com os pés na terra, como se fosse sua.