conflito israelo-palestiniano

Opinião

O Plano Americano para a Paz no Médio Oriente

O plano de paz americano para o Médio Oriente, apresentado ao público algumas semanas atrás, é uma contribuição completamente nova para a teoria da negociação e o papel aperfeiçoado do chamado mediador ou "intermediário". Desde a resolução da Assembleia Geral da ONU de 29 de novembro de 1948, que foi o primeiro plano de paz para a questão israelo-palestiniana, muitos planos foram apresentados pelos principais mediadores e nenhum dos quais foi totalmente implementado. A verdadeira paz entre israelitas e palestinianos nunca foi estabelecida e a contínua violência foi apenas pontuada por períodos de calma.

Opinião

Já não é segredo: Israel tem novos amigos árabes

Israel teve há dias uma enorme vitória diplomática e não, não foi o reafirmar por Jair Bolsonaro de que a embaixada brasileira mudará para Jerusalém. Ao passear-se por Mascate com o sultão de Omã, Benjamin Netanyahu confirmou aquilo que já se comentava à boca pequena há alguns anos: que cada vez mais os países árabes, e sobretudo as monarquias do golfo Pérsico, estão dispostas a reconhecer o Estado Judaico como uma realidade no Médio Oriente. E como um aliado contra o Irão, o grande rival xiita, visto como ameaça por reis e xeques sunitas.