António Araújo

António Araújo

Que viva o porno!

Na manhã de 18 de Setembro de 1923, uma mulher que andava a fazer uma caminhada pelas montanhas de Santa Mónica descobriu no chão um sapato feminino, um casaco e uma carteira. No interior da carteira, uma nota bizarra, assinada com as iniciais P.E.: "Tenho medo, sou uma cobarde, tenho medo de tudo. Se tivesse feito isto há mais tempo, teria poupado muito sofrimento." A caminhante olhou para o fundo da ravina e viu o cadáver de uma jovem mulher. Receando meter-se em sarilhos, deixou os objectos nas escadas da esquadra da polícia de Hollywood e depois ligou para lá, a contar o que tinha visto.

António Araújo

Are you talkin' to me? (1.ª parte)

Paul estava no hospital a recuperar de uma úlcera gástrica, em resultado dos excessos dos últimos tempos. Tinha 26 anos, batera no fundo. O casamento terminara há pouco, o affaire que levara ao divórcio também terminara, fora despedido de fellow do American Film Institute. Agora, dormia no automóvel e passava os dias afundado no álcool. Quando deu entrada no hospital, apercebeu-se de que as enfermeiras das urgências eram os primeiros seres humanos com quem falava há semanas. Não admira que se tenha deixado fascinar pelas notícias dos jornais sobre um homem solitário como ele, Arthur Bremer, que em Maio de 1972 tentara matar com cinco tiros de revólver George Wallace, governador do Alabama e candidato à presidência do país.