Zion, a primeira criança a receber um transplante das duas mãos

Menino perdeu as mãos e os pés aos 2 anos. Agora, já consegue brincar e jogar basebol

Zion Harvey é a primeira criança no mundo a receber um transplante de ambas as mãos e, 18 meses após uma cirurgia de 11 horas, o seu caso foi declarado um sucesso. O menino norte-americano tem 10 anos e perdeu as mãos e os pés aos 2 anos de idade, devido a uma infeção.

"18 meses após a cirurgia, a criança é mais independente e capaz de cumprir tarefas do dia a dia", disse Sandra Amaral, do hospital pediátrico da Filadélfia, onde foi feita a operação, segundo a AFP.

Agora, Zion consegue brincar, escrever, comer, lavar-se e vestir-se sozinho. A criança está ansiosa por poder dar um bom uso às novas mãos.

"Só quero escrever uma carta aos pais [a agradecer] por me darem as mãos do filho porque eles não tinham de o fazer se não quisessem", disse Zion, citado pela BBC.

Poucos dias depois da operação, Zion já conseguia mexer os dedos. Oito meses depois aprendeu a desenhar com lápis de cera e a usar tesouras e passado um ano estava a jogar basebol.

"Agora posso tirar um lanche do frigorífico sem pedir a ajuda de ninguém", continuou Zion.

O processo de adaptação não tem sido fácil. O corpo de Zion rejeitou os transplantes das mãos oito vezes e o menino tem tomado imunossupressores para impedir que isto volte a acontecer. Estas drogas têm efeitos colaterais e podem provocar diabetes, cancros e novas infeções. Zion já fez também um transplante de fígado.

"Esta cirurgia tem sido muito exigente para a criança", disse Amaral. A história e progresso de Zion foi relatada no último número da revista científica The Lancet Child & Adolescent Health, e num vídeo feito pelo hospital pediátrico da Filadélfia.

Apesar do sucesso até ao momento no caso de Zion, os médicos acreditam que são necessárias mais investigações antes de o transplante de mãos em crianças se tornar uma prática mais comum. O primeiro transplante de mão realizado com sucesso num adulto foi em 1998.

"Continuo a ser a mesma criança que toda a gente conheceu sem mãos. A única diferença é que agora em vez de não ter mãos tenho duas mãos", disse o menino de 10 anos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG