Vacinação no ensino superior não está no planeamento da task force

Fonte da task force que coordena o plano nacional de vacinação contra a covid-19 explicou que "a inclusão do ensino superior é um assunto ainda não abordado. Para já, foi considerada, para efeitos de planeamento, a vacinação do pessoal docente e não docente das creches, do pré-escolar, do ensino básico e do secundário."

A inclusão do grupo de professores, investigadores e restantes funcionários do ensino superior nos grupos prioritários da vacinação contra a covid-19 não se enquadra atualmente nas atividades de planeamento da 'task force' para o plano de vacinação.

Este esclarecimento da task force surge depois de uma fonte desta estrutura ter dito que a inclusão destes profissionais estava a ser analisada.

Fonte da task force que coordena o plano nacional de vacinação contra a covid-19 explicou que "a inclusão do ensino superior é um assunto ainda não abordado. Para já, foi considerada, para efeitos de planeamento, a vacinação do pessoal docente e não docente das creches, do pré-escolar, do ensino básico e do secundário."

Os sindicatos que representam os trabalhadores do ensino superior têm criticado, precisamente, o facto de também trabalharem em escolas, que irão retomar o ensino presencial a 19 de abril, mas não pertencerem aos grupos prioritários de vacinação.

O plano passou este mês a incluir nos grupos prioritários de vacinação o pessoal das creches, pré-escolar, ensino básico e secundário.

Nesse sentido, os docentes e funcionários do ensino pré-escolar e 1.º ciclo vão ser vacinados este fim-de-semana.

O plano prevê a vacinação de cerca de 280 mil funcionários escolares, numa ação que começa este fim-de-semana e que será retomada no fim-de-semana de 10 e 11 de abril.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG