Uma Praça em Cada Bairro chega ao Lumiar

Topo norte da Alameda das Linhas de Torres vai transformar-se numa zona de lazer. Espaço pedonal vai ser reabilitado

A Alameda das Linhas de Torres, no Lumiar, vai sofrer durante os próximos meses duas intervenções de reabilitação do espaço público. A mais relevante, no topo norte da Alameda, vai mudar a face do espaço junto ao Mercado do Lumiar, onde se situa a antiga junta de freguesia.

Inserida no programa municipal Uma Praça em Cada Bairro, a intervenção na zona que faz a ligação entre a Alameda e a Estrada da Torre vai criar um "espaço de lazer e estadia" numa área que atualmente é ocupada, em boa parte, por uma zona de estacionamento em terra batida - ainda uma herança das obras de construção do Eixo Norte-Sul, há mais de uma década, e que desde então não foi intervencionada. O projeto inclui a criação de equipamentos desportivos, um parque infantil, quiosques e esplanadas, obras que serão acompanhadas do redimensionamento dos passeios.

De acordo com Pedro Delgado Alves, presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, uma das alterações que a obra pretende promover passa pela "alteração dos perfis de estacionamento" na zona. "Sofremos muito com o estacionamento de pessoas que vêm de fora da cidade e deixam aqui o carro para apanhar o metro", diz ao DN, acrescentando que esta foi uma das principais preocupações expressa pelos residentes ao longo da discussão pública do projeto. Resultado disso, a Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa vai passar a marcar presença na nova praça e áreas adjacentes: "O objetivo é ter a EMEL ali e junto às entradas do metro para dissuadir o estacionamento de quem vem de fora e deixa o carro" na freguesia. O que se pretende, acrescenta o também deputado socialista, é que os automobilistas passem a deixar os carros "junto às entradas do metro fora da cidade".

Em paralelo às obras de requalificação da praça, será também requalificado o Mercado do Lumiar, enquanto a antiga sede da junta de freguesia será transformada em sede da Universidade da Terceira Idade.

As obras na Alameda não vão limitar-se à zona norte. No âmbito do Plano de Acessibilidades Pedonais da autarquia, a artéria que liga o Campo Grande à Estrada da Torre vai ter outras alterações ao longo da via, que se vão estender à Avenida Rainha Dona Amélia e à Avenida Maria Helena Vieira da Silva.

"Estamos a coordenar com a câmara a realização da intervenção", diz Pedro Delgado Alves, apontando como objetivo a melhoria da mobilidade numa zona que reúne várias instituições vocacionadas para pessoas com deficiências - caso da Associação de Deficientes das Forças Armadas ou da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral. "Não é uma mudança transformadora, não se muda o perfil da circulação rodoviária, é corretiva", diz o autarca, apontando como exemplos o rebaixamento dos passeios ou a relocalização e sobre-elevação de passadeiras.

Obras em "simultâneo"

O presidente da Junta do Lumiar antecipa que o projeto para esta zona fique fechado até final de junho, manifestando a preocupação de que as obras (que cabem à Câmara Municipal de Lisboa) possam coincidir no tempo com a requalificação do topo norte da Alameda. Neste caso está atualmente a correr o concurso para a realização da obra, que deverá "arrancar no verão" e prolongar-se por sete a oito meses - ou seja, presumivelmente até início do próximo ano.

A freguesia do Lumiar tem ainda várias ruas incluídas no programa Pavimentar. Depois da Avenida Padre Cruz e da Calçada de Carriche, as de maior envergadura, está atualmente em obras a Rua Prof. Parado Coelho, seguindo-se a Bento de Jesus Caraça, num conjunto que ultrapassa a dezena.
Ontem, a freguesia do Lumiar viu também a Assembleia Municipal aprovar a transferência de uma verba de 210 mil euros para reabilitação e cobertura de um pavilhão gimnodesportivo no Alto da Faia, em Telheiras, onde será também construído um campo de jogo da malha.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG