UE pede 'transparência' a empresas sobre atrasos de vacinas anticovid

Charles Michel pediu transparências às empresas farmacêuticas.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, pediu às empresas farmacêuticas, este domingo, "transparência" sobre as razões para os atrasos nas entregas da vacina contra a covid-19 anunciada pelos laboratórios AstraZeneca e Pfizer.

"O que pedimos a essas empresas é um diálogo transparente", declarou Charles Michel a vários jornais franceses.

"É óbvio (...) que pensamos em fazer respeitar os contratos que foram assinados pelas empresas farmacêuticas", afirmou o presidente do Conselho, que representa os 27 Estados-membros da União Europeia (UE).

"Quando a Pfizer anunciou atrasos de várias semanas, viu-se que reagimos com firmeza e, finalmente, os atrasos anunciados de várias semanas foram reduzidos", lembrou.

Charles Michel mostrou-se compreensivo, porém, com as dificuldades industriais e com os "obstáculos" que os laboratórios podem enfrentar, como os problemas "de fornecimento das matérias-primas necessárias".

Após os atrasos anunciados pela Pfizer nas entregas da vacina contra a covid-19, um anúncio similar da AstraZeneca na sexta-feira gerou preocupação e revolta na Europa.

O continente corre contra o relógio, face ao surgimento de novas e mais perigosas variantes do coronavírus.

A União Europeia assinou um total de seis contratos com empresas farmacêuticas e está em negociações com outras duas, para um total de 2,5 bilhões de doses potenciais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG