Ucrânia: Governo pede esclarecimentos ao Alto Comissariado para as Migrações sobre acolhimento de refugiados em Setúbal

Em causa notícia do Expresso de que refugiados ucranianos estão a ser recebidos em Setúbal por russos pró-Putin.

A secretária de Estado da Igualdade e Migrações enviou esta sexta-feira ao Alto Comissariado para as Migrações (ACM) um pedido de esclarecimento na sequência da notícia de que refugiados ucranianos estão a ser recebidos em Setúbal por russos pró-Putin.

Em comunicado, o gabinete da secretária de Estado Sara Guerreira indica que o pedido foi dirigido à alta-comissária, Sónia Pereira, com caráter de urgência.

A secretária de Estado "pediu também esclarecimentos aos parceiros locais do ACM , como a Rede de Centros Locais de apoio à integração de migrantes e associações locais", acrescenta o comunicado.

O jornal Expresso noticiou esta sexta-feira que refugiados ucranianos estão a ser recebidos no município setubalense por russos pró-Putin.

De acordo com o semanário, pelo menos 160 refugiados ucranianos já terão sido recebidos por Igor Khashin, antigo presidente da Casa da Rússia e do Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, e pela mulher, Yulia Khashin, funcionária do município setubalense.

Igor Khashin, líder da Associação dos Emigrantes de Leste (Edintsvo), subsidiada desde 2005 até março passado pela Câmara de Setúbal, e a mulher terão, alegadamente, fotocopiado documentos de identificação dos refugiados ucranianos, no âmbito da Linha de Apoio aos Refugiados da Câmara Municipal de Setúbal.

Segundo o Expresso, Igor Khashin e a mulher terão também questionado os refugiados sobre os familiares que ficaram na Ucrânia, mas a Câmara Municipal de Setúbal garante que "nunca foi feita tal pergunta".

O jornal Expresso refere ainda que Igor Khashin é um dirigente associativo com dupla nacionalidade, que se apresenta como "gestor de projetos", e que as associações a que terá estado ligado estavam nos 'sites' da Ruskyi Mir e da Rossotrudnichestvo, instituições estatais criadas pelo Kremlin para divulgar a cultura e o mundo russos, mas que, segundo fontes citadas pelo jornal, "podem servir de cobertura a elementos dos serviços secretos" da Rússia.

Contactada pela agência Lusa, a Câmara de Setúbal comprometeu-se a reagir ainda hoje em comunicado.

O PSD, Iniciativa Liberal e o PAN já requereram, entretanto, a audição do presidente de Câmara Municipal de Setúbal na Assembleia da República para esclarecer as notícias.

Em declarações aos jornalistas nos Passos Perdidos da Assembleia da República, em Lisboa, a deputada única do PAN, Inês Sousa Real, disse que o partido está "a ponderar, evidentemente, apesar da autonomia do poder local, convocar o presidente da Câmara para que possa prestar todos os esclarecimentos, porque é demasiado grave aquilo que se passou".

"É uma violação grosseira dos seus direitos [dos refugiados ucranianos]", disse a porta-voz do Pessoas-Animais-Natureza.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG