Trabalhadores da Rodoviária de Lisboa fazem greve de 24 horas na sexta-feira

Esta greve ocorre cerca de duas semanas depois da realização de uma paralisação de 48 horas.

Os trabalhadores da Rodoviária de Lisboa (RL) realizam sexta-feira uma greve de 24 horas para reivindicar uma atualização salarial, sublinhando que o seu salário é equiparado ao ordenado mínimo nacional.

Esta paralisação, convocada pelo Sindicato Independente dos Trabalhadores da Rodoviária de Lisboa (SITRL) e pela Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS) ocorre cerca de duas semanas depois da realização de uma paralisação de 48 horas.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do SITRL, João Casimiro, disse que a administração da Rodoviária de Lisboa (RL) "continua sem dar resposta às reivindicações dos trabalhadores", nomeadamente quanto aos aumentos salariais.

"Iremos avançar para a greve se não houver nenhuma ação por parte da empresa. Até agora não apresentaram nenhuma proposta que fosse ao encontro das nossas reivindicações", apontou.

João Casimiro referiu que a empresa apresentou uma proposta de aumento de 3% para os motoristas com novos contratos, a partir de janeiro, e que a situação salarial dos motoristas com antigos contratos permaneceria inalterada.

"A nossa proposta é um aumento de 730 euros ainda durante este ano e 750 euros em janeiro", indicou.

Atualmente, o ordenado médio de um trabalhador da RL é de cerca de 700 euros (brutos), enquanto o ordenado mínimo nacional é de 665 euros.

A Lusa contactou fonte da Rodoviária de Lisboa que remeteu uma eventual resposta para mais tarde.

A Rodoviária de Lisboa, que dispõe de cerca de 600 motoristas, abrange os concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira

Mais Notícias

Outras Notícias GMG