Suspeitos de assalto violento absolvidos por falta de provas em Oliveira de Azeméis

Os juízes afirmaram que não ficou provado que os suspeitos tenham assaltado e agredido o idoso, que veio a morrer na sequência de um Acidente Vascular Cerebral, ocorrido cerca de um mês após o crime

O Tribunal da Feira absolveu esta terça-feira, por falta de provas, cinco suspeitos de um assalto violento à residência de um idoso, que ocorreu em novembro de 2013 em Oliveira de Azeméis.

Os arguidos, cinco homens e uma mulher com idades entre os 21 e os 38 anos, estavam acusados de um crime de roubo agravado pelo resultado.

Para o coletivo de juízes não ficou provado que os suspeitos tenham assaltado e agredido o idoso, que veio a morrer na sequência de um Acidente Vascular Cerebral, ocorrido cerca de um mês após o crime.

Em julgamento, o único arguido que aceitou prestar declarações, negou qualquer envolvimento no assalto e afirmou desconhecer a vítima, um homem de 74 anos, conhecido pela alcunha de "Amor de Perdição".

Os factos ocorreram na noite de 22 de novembro de 2013, em Pinheiro da Bemposta, Oliveira de Azeméis.

Segundo a acusação, os suspeitos entraram na residência e agrediram o septuagenário, forçando-o a entregar-lhes armas e dinheiro. Após o crime, terão fugido com a viatura do ofendido e atiraram-na a uma ravina, depois de lhe terem deitado fogo.

Na sequência das agressões, o idoso sofreu ferimentos graves, tendo sido transportado para o Hospital da Feira e dali para o Hospital de Santo António no Porto.

O Ministério Público diz que o idoso correu "perigo de vida", devido à gravidade das lesões que sofreu resultante das aludidas agressões e à idade avançada do mesmo.

"Os arguidos agiram de forma livre, voluntária e consciente, sabendo que o arguido tinha uma idade avançada e se encontrava, por via disso, debilitado na sua saúde física e psíquica e que as agressões perpetradas poderiam causar, como veio a suceder, perigo para a vida", refere o MP.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG