Residentes de aldeia de Sardoal onde ardeu uma casa levados para quartel

Quase todos os deslocados são idosos

Os cerca de 50 habitantes da aldeia de São Simão, em Sardoal (Santarém), foram transferidos esta noite para o quartel dos bombeiros devido a um incêndio que principiou na terça-feira e que acabou por destruir uma habitação.

"Acabámos de ter a confirmação de uma habitação que terá ardido na aldeia de São Simão. A casa era de primeira habitação e ardeu por completo", disse à Lusa o presidente da autarquia, Miguel Borges, poucos minutos antes da 01:00, tendo acrescentado que o residente fica em casa de familiares "até se definir como resolver a situação".

O presidente da Câmara Municipal de Sardoal disse que "a transferência de toda a população", que estimou em "cerca de cinco dezenas de pessoas, quase todas idosas", decorreu cerca das 20:00 e deveu-se a uma "tomada de precaução" devido à "imprevisibilidade da direção dos ventos e das chamas" de um incêndio que às 00:40 de hoje ainda continuava por controlar.

"A Câmara de Sardoal decidiu evacuar toda a aldeia cerca das 20:00, com o apoio dos serviços sociais da autarquia e da proteção civil municipal, por uma questão de precaução. A aldeia esteve completamente cercada pelas chamas e o que é certo é que ardeu tudo à volta de São Simão", disse Miguel Borges, tendo destacado o facto de não haver incidentes pessoais.

"Nunca vi nada assim na minha vida", sublinhou, referindo-se a um incêndio que teve início em Andreus às 18:38 de terça-feira, e que às 00:40 de hoje estava a tentar ser travado nos concelhos contíguos de Sardoal e de Abrantes por 671 operacionais, apoiados por 207 viaturas.

Em declarações à Lusa, o comandante Paulo Cardoso, do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, disse ter informação de uma casa ardida na Rua da Glória, em Carvalhal (Abrantes), sem vítimas, situação confirmada pelo presidente da junta de freguesia.

O autarca Luís Serras disse à Lusa que dois irmãos ficaram desalojados e foram acolhidos por familiares, sublinhando ter sido esta a única casa ardida na freguesia, o que atribuiu à intervenção "pronta e incansável" dos bombeiros.

Paulo Cardoso confirmou a evacuação de uma casa em Sobral Basto, da qual foi retirado temporariamente e por precaução o casal que aí reside, por se tratar de pessoas invisuais que teriam dificuldade em deixar a habitação, que está numa zona isolada, se isso fosse necessário.

Segundo o comandante, o casal já regressou a casa.

Segundo Paulo Cardoso, ao longo da tarde foi acionada a presença de ambulâncias para o caso de ser necessário retirar pessoas com mais dificuldade de mobilidade, como era o caso de um lar situado em Carvalhal, o que acabou por não se verificar, situação igualmente referida por Luís Serras.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG