Recebeu tratamento para gastroenterite mas morreu vítima de aneurisma

Vítima deu entrada no hospital de Viana do Castelo mas só no dia seguinte foi transferida para Braga. Viria a morrer 16 horas depois de ter ido às urgências, onde foi tratada para problemas de estômago

Uma mulher de 58 anos, natural de Ponte de Lima, morreu no hospital de Braga, para onde foi transferida depois de ter sido diagnosticada com uma gastroenterite no hospital de Ponte de Lima.

A notícia é avançada este sábado pelo Jornal de Notícias, que refere que a família da mulher avançou com várias queixas, nomeadamente à Entidade Reguladora da Saúde, que instaurou um inquérito e concluiu que o hospital de Viana não garantiu à utente "cuidados de saúde de qualidade e em segurança".

Segundo o JN, o caso remonta a 11 de abril de 2014: a vítima deu entrada no hospital de Viana às 21:44, depois de ter desmaiado sem razão aparente enquanto cozinhava o jantar. Mas recebeu tratamento no pressuposto de que sofria de uma gastroenterite. Durante 12 horas, não terá tido qualquer assistência e esteve "num canto da sala de OBS" depois de fazer análises, relatou o marido na queixa que apresentou.

Ao entrar na urgência, a mulher apresentava sintomas de desorientação, vómitos e mal-estar geral. Só ao meio-dia do dia seguinte, quando o estado de saúde se agravou e foi submetida a uma TAC, foi colocada a hipótese de se tratar de um problema neurológico e não de uma gastroenterite. A vítima foi então transferida para Braga, onde viria a morrer com um aneurisma.

O JN contactou o hospital de Viana do Castelo, que revelou ter instaurado um inquérito interno ao caso, que acabou arquivado, e diz não ter conhecimento de que esteja a ser alvo de qualquer processo judicial.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG