Ouvidos os quatro portugueses detidos por suspeita de violar duas jovens em Gijón

Várias organizações convocaram para segunda-feira à tarde uma manifestação de protesto e indignação, em frente à Câmara Municipal de Gijón.

Os quatro portugueses detidos no sábado por suspeita de abuso sexual, cometido contra duas jovens espanholas, de 22 e 23 anos, numa pensão de Gijón, em Espanha, foram ouvidos por uma juíza, a qual decidiu mantê-los privados de liberdade numa esquadra enquanto aguarda aguarda a disponibilização de toda a documentação relativa ao caso de abuso sexual, entre relatórios clínicos e indicação das lesões sofridas a relatório da polícia científica e outros testemunhos.

Os quatro, com idades entre os 22 e os 30 anos, defenderam a sua inocência e asseguraram que as relações sexuais com as duas jovens foram consensuais, informa o El Comércio.

Na segunda-feira, as duas queixosas irão fazer a identificação dos suspeitos, enquanto várias organizações convocaram para a tarde uma manifestação de protesto e indignação, em frente à Câmara Municipal de Gijón.

As duas mulheres, uma delas de Gijón e uma outra de Bergara, País Basco, denunciaram a agressão sexual na esquadra policial às 06:30 de sábado, explicando que tinham conhecido um homem num bar após terem marcado um encontro através do Instagram e que seguiram com ele para a pensão onde este estava hospedado, para um encontro sexual.

Segundo o relato das vítimas, no caminho para a pensão juntou-se um outro homem e, ao chegarem à sala, encontraram dois outros portugueses que as obrigaram, com recurso a violência física, a manter relações sexuais com todos eles.

Posteriormente, as jovens foram transferidas para o hospital de Gijón para serem submetidas a um exame médico.

Ainda de acordo com o citado periódico de Gijón, dois dos suspeitos apresentaram-se como Diego M. e Alberto C.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG