Arranca no sábado a vacinação de 20 mil elementos das forças de segurança

Vai ser dada prioridade aos agentes da PSP e militares da GNR que estão na "linha da frente e mais expostos aos riscos" do novo coronavírus, sendo também estabelecidos critérios de saúde. Processo de vacinação deverá demorar três semanas.

Vinte mil agentes de forças policiais vão ser vacinados nas próximas três semanas, adiantou esta sexta-feira o Ministério da Administração Interna (MAI), acrescentando que o processo de vacinação começa no sábado.

A vacinação de 10 mil agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) e de 10 mil militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) "reconhece o papel das Forças de Segurança no combate à pandemia da covid-19, colocando-as entre as prioridades de vacinação dentro das funções essenciais do Estado", tendo o planeamento do processo sido elaborado "de forma articulada entre a GNR e a PSP".

"A ordem dos elementos a vacinar foi definida pela Guarda Nacional Republicana e pela Polícia de Segurança Pública, com base em critérios operacionais -- priorizando militares e agentes na linha da frente e mais expostos aos riscos do coronavírus -- e também critérios de saúde -- com prioridade a elementos que sofrem das comorbilidades/patologias listadas pela Direção-Geral da Saúde", refere o comunicado do MAI.

Montado centro de vacinação para "aliviar pressão" nos serviços de saúde na Grande Lisboa

Para este processo de vacinação, "e de forma a aliviar a pressão sobre os serviços de saúde na região de Lisboa e Vale do Tejo, foi montado um centro de vacinação conjunto para os guardas e polícias desta área".

O centro de vacinação vai funcionar no quartel da GNR na Ajuda, em Lisboa, com seis elementos do centro clínico da GNR e três elementos da Cruz Vermelha Portuguesa, adianta o comunicado que esclarece ainda que nas outras regiões do país a vacinação dos agentes das forças de segurança vai decorrer nos centros de saúde.

Pandemia em Portugal é responsável por mais de 15 mil mortes

Na PSP, serão os Comandos Metropolitanos de Lisboa e do Porto a vacinar um maior número de agentes, com 3815 incluídos no plano em Lisboa e mais de 1600 no Porto.

Já na GNR serão os comandos do Porto, Lisboa, Aveiro e Setúbal a vacinar um maior número de militares, sendo o comando do Porto o que mais guardas vacina nesta fase (1086).

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2 368 493 mortos no mundo, resultantes de mais de 107,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 15 034 pessoas dos 781 223 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG