Professores. Portugal "não está a fazer o suficiente" para valorizar bons exemplos

Diretor da OCDE para a Educação avisa que Portugal não está a fazer o suficiente para dar visibilidade aos bons exemplos

Os professores que têm mais visibilidade estão "mais satisfeitos com as suas carreiras". E o grau de satisfação é um "importante preditor" do sucesso que os seus alunos terão no futuro. Quem o diz é Andreas Schleicher, diretor da OCDE para a Educação, que avisa que Portugal "não está a fazer o suficiente" para valorizar e potenciar os bons exemplos que existem na classe docente.

Na conferência "PISA - Avaliação, Resultados, Desafios", promovida pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, que está a decorrer no auditório da Secundária Camões, em Lisboa, o alemão deu o exemplo de Xangai, onde os professores colocam as aulas online, como um exemplo de uma prática que ajuda não só a partilhar as boas experiências como a dar uma sensação de reconhecimento aos docentes.

Schleicher defendeu que os três pilares do sucesso no trabalho dos professores são a "preparação, autonomia e cultura colaborativa", características, sobretudo as duas últimas, que devem ser mais trabalhadas.

Citando os inquéritos do PISA, o especialista disse também que, embora a esmagadora maioria dos professores portugueses afirme preparar os alunos para que eles consigam trabalhar por si próprios, na prática o trabalho em sala de aula é muito focado em exercícios de repetição e memorização.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG