Portugal já registou ondas de calor em novembro

Temperaturas médias globais têm registado subidas quase todos os meses. Aumento pode chegar a um grau no fim do ano. Mês passado, foi o outubro mais quente desde 1880.

Portugal está a viver ainda as temperaturas do verão de São Martinho, bem patentes no facto de só este mês já se terem registado ondas de calor. O registo do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) refere-se a algumas estações meteorológicas e podem acabar por não ser significativas no balanço final do mês, mas para já tudo indica que "os valores da temperatura máxima estão acima do normal" para a época.

O que significa que durante mais de seis dias consecutivos, houve zonas do país que registaram temperaturas máximas diárias superior em cinco graus ao valor médio diário de referência para o mês de novembro. Por isso é que apesar deste fenómeno se ter registado "acabou por passar despercebido porque a temperatura não era elevada como acontece nos meses quentes", aponta a Vanda Pires, do IPMA.

No entanto, parece que estes registos têm os dias contados, uma vez que as previsões apontam para a descida da temperatura e chuva já no fim de semana. Uma alteração do estado do tempo que pode acabar por equilibrar o balanço do mês de novembro.

Tal como aconteceu com outubro, onde apesar de se terem registado temperaturas acima da média, a chuva forte que caiu no dia 17 -provocando inundações no Algarve - acabou por evitar que este fosse o outubro mais quente de sempre, como aconteceu a nível mundial.

Por cá, o aumento de temperaturas foi sobretudo sentido nas mínimas, conforme explica Vanda Pires. Aí o valor médio - que foi de 12,54 ºC - já chegou para ser o 6.º mais alto desde 2000 e o 15.º desde 1931 (sendo que o mais alto foi de 13.95 ºC em 2006), indica o Boletim Climatológico.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG