Ponto de escuta de jesuítas. Mais de 30 pessoas pediram para ser escutadas em menos de uma semana

O serviço da Companhia de Jesus é gratuito, confidencial e destina-se a todos aqueles que precisem de conversar e de ser ouvidos neste tempo de confinamento devido à pandemia de covid-19.

O Ponto de Escuta, lançado pela Companhia de Jesus, recebeu, em menos de uma semana, 31 pedidos de atendimentos de pessoas que precisavam de conversar e ser ouvidas, numa altura em que o país está de novo em confinamento para travar a propagação da covid-19. Um serviço que se destina a todos aquelas pessoas que se sentem sozinhas, desorientadas, desanimadas e a precisar de ser ouvidas neste tempo de emergência devido à pandemia. É gratuito, confidencial e prestado por voluntários que conversam por telefone com quem o desejar.

Os pedidos chegaram de todo o país ao Ponto de Escuta, estando as mulheres em maioria, e foram agendados em menos de 24 horas pelos voluntários que integram o projeto, refere a Companhia de Jesus, em comunicado.

"A grande maioria das pessoas que foram escutadas e avaliaram esse momento de escuta (94,1%) afirmaram que se sentiram muito bem escutados/acolhidos, sendo que muitos (94,2%) sentiram vontade de agendar um novo momento de escuta", lê-se na nota.

"Este tempo de pandemia está a causar muito sofrimento e angústia aos portugueses"

Antecipando um aumento da afluência a este serviço, "no próximo fim de semana será feita uma formação para novos voluntários que se juntarão, assim, aos 35 que já integram o Ponto de Escuta".

O lançamento deste serviço "surge da consciência de que este tempo de pandemia está a causar muito sofrimento e angústia aos portugueses, sendo de esperar um agravamento deste mau estar", devido ao novo período de confinamento que o país atravessa.

A coordenadora provincial do Sistema de Proteção e Cuidado de Menores e Adultos Vulneráveis (SPC) da Província Portuguesa da Companhia de Jesus (PPCJ), Ana Sofia Marques, sublinha que, "numa altura em que grande parte das Obras da PPCJ se fecharam neste esforço nacional de combate à pandemia, os menores e adultos vulneráveis que servem continuam a precisar de um olhar atento e protetor por quem os recebia e conseguia ler no seu rosto se tudo estava (ou não) bem."

"Escutar é pôr-me no lugar do outro, é estar inteiro naquele momento de escuta para o outro, é ser luz(inha), é proteger e cuidar", afirma a responsável pelo Portal de Escuta.

Não sendo um espaço de apoio espiritual, também será possível agendar esse encontro, com um jesuíta, se for solicitado, tal como já aconteceu em sete situações, refere a Companhia de Jesus. Sublinha ainda que o Ponto de Escuta não é um espaço de apoio técnico, psicológico ou terapêutico.

Todos os que sintam necessidade de um espaço de conversa e escuta, podem inscrever-se no Ponto SJ (portal dos Jesuítas em Portugal), que disponibiliza um formulário, onde as pessoas podem inscrever-se para que seja agendado o momento da escuta.

O Ponto de Escuta é um serviço integrado no Ponto de Abastecimento, espaço que reúne as várias propostas dos Jesuítas para este tempo de confinamento. Entre as iniciativas disponibilizadas no Ponto SJ estão também propostas de oração, de reflexão e sugestões de lazer.

De referir ainda que os jesuítas retomaram a transmissão online da eucaristia diária e dominical.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG