Peregrinação de 13 de maio com 19 grupos inscritos, apenas um estrangeiro

Entre os 7500 peregrinos que podem assistir às celebrações de Fátima, há grupos previamente inscritos. O Santuário não revela o número de peregrinos que cada um integra, mas em número de grupos é um dos mais baixos de sempre

Um total de 19 grupos estão previamente inscritos para participar na peregrinação aniversária das aparições de Fátima, que se realizam nestes 12 e 13 de maio. São peregrinos que vêm de forma organizada, mas mesmo depois da pandemia - quando foram reabertas ao público as celebrações, embora com restrições - este é o número mais baixo. Fonte do Santuário de Fátima confirmou ao DN que estão inscritos 19 grupos, sendo que apenas um é estrangeiro, vindo da Áustria. Os restantes são provenientes das dioceses de Braga, Viseu, Lisboa, Viana do Castelo, Évora, Porto e Coimbra.

O recinto do Santuário de Fátima está preparado para receber, no máximo, 7500 peregrinos, de acordo com as normas estipuladas pela Direção Geral de Saúde (DGS). Desde outubro passado que o Santuário mariano adaptou o espaço, com círculos desenhados no chão.

"Em articulação com as autoridades de saúde, como sempre fez, o Santuário garantirá uma vez mais o acolhimento dos peregrinos, em total segurança, prosseguindo a aplicação das regras em vigor neste contexto de pandemia em todas as celebrações como o uso obrigatório de máscara, o distanciamento físico e a higienização das mãos", informa o gabinete de comunicação do Santuário, uma nota à imprensa.

"As entradas no Recinto far-se-ão por oito portas, devidamente assinaladas, nos lados norte e sul do Santuário. Nas entradas estarão acolhedores, com dispensadores de álcool gel, que indicarão os lugares para onde deverão seguir os peregrinos que se devem manter no mesmo sítio durante as celebrações", acrescenta a mesma nota, divulgada por estes dias. Entretanto, no interior do recinto haverá igualmente "acolhedores para acompanhar os peregrinos. No total estarão envolvidos 80 pessoas entre funcionários do Santuário e voluntários, incluindo, desta vez, alunos do Colégio de São Miguel", um dos vários estabelecimentos de ensino privado que existem em Fátima. Os espaços ao longo do Recinto estão assinalados por círculos e em cada um poderão ficar apenas peregrinos que pertençam ao mesmo agregado.

Nos últimos dias, sabendo da limitação para os dias 12 e 13, muitos foram os peregrinos que acorreram a Fátima. De modo que, no domingo, o Santuário viu-se obrigado a fechar algumas portas de entrada, por registar uma afluência superior à estipulada.

O modelo desta peregrinação foi testado pela primeira vez em outubro passado, embora com menor número de peregrinos. O Santuário e as autoridades definiram então 6000, mas na noite de 12 de outubro a procissão das velas foi acompanhada apenas por 4500. Porém, na ocasião, o número de grupos inscritos era bastante superior àquele que agora está anunciado. Foram então contabilizados 93 grupos: 33 de Portugal, 26 de Espanha, 11 da Polónia, um da Eslovénia, um do México, um da Hungria, um da China, um do Canadá, um da Bélgica e um de seminaristas missionários de diferentes nacionalidades.

E afinal, os números falam por si. Naquele espaço que desde há 104 anos era um mar de gente, naquela noite de 12 de maio de 2020 o DN testemunhou o perfeito vazio: há um ano, o Santuário realizava a primeira peregrinação sem peregrinos, sendo as celebrações apenas testemunhadas pelos funcionários, celebrantes, e mais de uma centena de jornalistas.

O reitor, Carlos Cabecinhas, tem vindo a desincentivar, veladamente, a ida dos peregrinos até Fátima. E as estradas quase vazias de gente a pé mostram que os fiéis estão a acolher a sugestão.

Regras apertadas durante as celebrações

Para evitar a movimentação dos peregrinos no recinto, que comprometa a manutenção do distanciamento físico, as zonas da Capelinha das Aparições e do queimador das velas estarão vedadas durante as celebrações. Na Capelinha apenas poderão estar os intervenientes em cada uma das delas, e a comunhão será igualmente distribuída por cada lugar, sendo o ministro a deslocar-se até cada um dos peregrinos. "Numa atitude responsável e consciente, o Santuário considera que a saúde está acima de tudo e, por isso, este maio ainda não poderá acolher todos quantos gostariam de estar presentes na Peregrinação Internacional Aniversária", adianta o gabinete de comunicação, que recomenda as transmissões digitais nas plataformas do próprio Santuário, ou ainda a transmissão, em sinal aberto, pela RTP e TVI.

Recorde-se que esta celebração assinala a primeira aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos e este ano tem como lema"Louvai o Senhor, que levanta os Fracos". Será presidida pelo cardeal D. José Tolentino Mendonça.

As celebrações começam no dia 12, como a Oração do Rosário às 21h30, seguindo-se a Procissão das Velas e depois uma Celebração da Palavra. No dia 13, o Rosário será recitado às 9h00, seguindo-se a Missa Internacional às 10h00. Neste mês de maio, o Santuário assinala ainda os 75 anos da Coroação da Imagem de Nossa Senhora, que se venera na Capelinha das Aparições, construída na Cova da Iria, lugar onde em maio de 1917 a virgem Maria terá aparecido aos três pastorinhos: Lúcia, Francisco e Jacinta Marto, entretanto beatificados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG