Pai da menina ferida diz desconhecer origem da arma

"Foi deixada na residência por um conhecido", foi o que afirmou à GNR o pai da menina de 6 anos e do rapaz de 11 que a atingiu por acidente quando manuseava uma espingarda de pressão de ar modificada para nove milímetros

O pai da criança de 11 anos que esta quarta-feira baleou a irmã, negou ser proprietário da arma de fogo. Fonte da GNR disse à agência Lusa, que o homem, que foi levado para ser ouvido, após os acontecimentos, explicou que a caçadeira foi "deixada na residência por um conhecido, por causa de um negócio".

Foi esta quarta-feira, por volta das 20.40, em São Roque, Oliveira de Azeméis, que uma menina de 6 anos foi atingida a tiro pelo irmão de 11 anos, com uma espingarda de pressão de ar, modificada para nove milímetros.

A menina de seis anos sofreu ferimentos na zona abdominal, tendo sido transportada para o Hospital de São João, no Porto, onde deverá ser operada esta madrugada. Está estável e não corre perigo de vida, disse ao DN a GNR de Aveiro.

Segundo o comandante dos Bombeiros de Oliveira de Azeméis, Paulo Vitória, os bombeiros foram chamados ao local para socorrer uma criança, por volta das 20.40. "Ao que parece tratou-se de uma brincadeira de irmãos que correu mal. Estava uma grande confusão e a prioridade era socorrer a vítima, mas posso confirmar que foi um acidente com uma arma de fogo, uma caçadeira, que estaria carregada", explicou o comandante dos bombeiros ao DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG