Organização Europeia faz apelo urgente: "Não se prejudique mais o combate contra o cancro"

Preocupada com os números de doentes que podem ter ficado para trás no combate ao cancro devido à resposta da pandemia, organização europeia lança campanha "Time To Act" - "É tempo de Agir".

A Organização Europeia para o Cancro estima que durante a pandemia provocada pelo SARS CoV-2 mais de um milhão de casos oncológicos tenham ficado por diagnosticar, que mais de 100 milhões de testes de rastreios não tenham sido realizados. Os números são preocupantes e, por isso, lançou nesta quarta-feira um apelo urgente a todos os países, aos doentes e aos profissionais, que não permitam que a pandemia continue a prejudicar o combate contra a doença.

Estes números serão apresentados num evento virtual no dia 27 de outubro, pelas 17:00 de Lisboa, bem como uma campanha que agora vai ser lançada Time To Act - É tempo de Agir. Ambas ações vão ser disponibilizadas em 30 línguas, incluindo a portuguesa, contando ainda com a presença de líderes políticos europeus e nacionais.

De acordo com a OEC, estima-se ainda que, uma em cada duas pessoas com potenciais sintomas oncológicos, não tenham sido encaminhadas com urgência para diagnóstico e que um em cada cinco doentes oncológicos na Europa ainda não recebe o tratamento cirúrgico ou de quimioterapia de que necessita.

O presidente da Organização Europeia, Matti Aapro, afirma mesmo que "precisamos desesperadamente de medidas urgentes ao mais elevado nível das políticas europeias e nacionais para resolver os pendentes do cancro, restaurar a confiança nos serviços oncológicos e combater a escassez de força de trabalho."

No Parlamento Europeu, Sara Cerdas, vice-presidente do 'Special Committee on Beating Cancer' (BECA), também já o disse: "O Plano Europeu de Luta contra o Cancro integra os esforços para uma verdadeira União Europeia para a Saúde. São cerca de 4 mil milhões de euros, numa luta que se reveste de uma maior relevância após a pandemia causada pela COVID-19 e todos os desafios e dificuldades acrescidos para os sistemas de saúde. Ninguém pode ficar para trás e é através de uma ação conjunta, a todos os níveis, e coordenada que encontraremos novas soluções para ajudar a ultrapassar os desafios existentes."

A campanha Time To Act lança agora o desafio a todos os cidadãos europeus para que representem o seu papel nesta luta, estando atentos aos sinais de aviso comuns do cancro (por ex., hemorragia quando vai à casa de banho, um nódulo no peito, dificuldade em engolir, perda de peso repentina) e que se dirijam de imediato ao médico se apresentarem tais sintomas suspeitos.

A Organização Europeia alerta também para o facto de ser muito importante comparecer às marcações de rastreios oncológicos. "É crucial para aumentar a possibilidade de um diagnóstico precoce, podendo o cancro pode ser tratado de forma mais eficaz. Para os doentes oncológicos, o tratamento não pode ser atrasado e incentivamo-los a insistirem para que os seus programas de tratamentos oncológicos sejam mantidos". A campanha reafirma ainda a missão da Organização Europeia para o Cancro em apoiar os profissionais de saúde no seu compromisso em oferecer ótimos cuidados para o benefício dos seus doentes.

No evento virtual, Portugal pode contar com as participações do secetrário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, Sara Cerdas e ainda Manuel Pizarro, deputado do Parlamento Europeu, e membro do 'Committee on the Environment, Public Health and Food Safety'.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG