O que é que faz da voz de Freddie Mercury tão especial?

Conheça a ciência por detrás dos pulmões (e cordas vocais) do vocalista dos Queen

A voz de Freddie Mercury ajudou os Queen a atingir um nível histórico de popularidade em todo o mundo, mas o que a torna tão cativante? Um grupo de investigadores da Universidade de Viena, na Áustria, propôs-se a descobrir e publicou os resultados na revista científica Logopedics Phoniarics Vocology.

Através de análise de entrevistas de Mercury, assim como de gravações da sua voz a solo e com os Queen, e ainda de filmagens dentro da garganta de um cantor convidado para imitar o estilo de cantar de Freddie Mercury no laboratório, foram capazes de concluir que Mercury tinha algumas capacidades excecionais, que sabia usar com muito controlo.

Em primeiro lugar, os investigadores concluíram que Mercury era um barítono, mas que conseguia complementar as características da sua voz com um elevado controlo da sua capacidade de vibrato. Isto significa que as suas cordas vocais conseguiam flutuar muito rapidamente entre um tom e o outro, dando à sua voz o característico tom à beira do descontrolo que o cantor usava com tanta mestria.

O que os cientistas não conseguiram comprovar, porém, foi que Mercury tivesse uma voz capaz de abranger quatro oitavas, como frequentemente se diz. Conseguiram registar Mercury a atingir 37 semitons - um valor impressionante - mas não os 48 que seriam necessários para afirmar que o cantor tinha uma voz de quatro oitavas.

Recorde abaixo a voz de Freddie Mercury, que morreu a 24 de novembro de 1991, nesta versão de We Are The Champions sem a parte instrumental.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG