O fim da proibição de circulação entre concelhos e o que reabre na segunda-feira

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que Portugal pode "dar o passo de avançar" com as medidas de desconfinamento previstas para a próxima segunda-feira. Mas pediu cautelas na Páscoa.

No dia em que anunciou os passos a dar na segunda fase de desconfinamento, o primeiro-ministro apelou novamente aos portugueses para que evitem os convívios durante o período da Páscoa, considerando que isso será "absolutamente fundamental" para evitar a propagação de casos de infeção de covid-19.

"Evitar os convívios com outras pessoas é absolutamente fundamental. O tradicional almoço de Páscoa deve ser mesmo evitado", disse António Costa, na conferência de imprensa realizada após o conselho de ministros.

Consulte AQUI na íntegra o documento apresentado por António Costa

O primeiro-ministro recordou que até ao final do dia 5 de abril se mantém em vigor a proibição de circulação entre concelhos.

O chefe de Governo salientou que estes momentos de convívio em que as pessoas se juntam à volta da mesa, e naturalmente sem máscara, "são focos de transmissão da doença".

"Renovo o apelo para que todos façamos o esforço de evitar que esta Páscoa possa ser uma Páscoa infeliz", disse.

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que Portugal pode "dar o passo de avançar" com as medidas de desconfinamento previstas para a próxima segunda-feira.

No final do Conselho de Ministros, António Costa explicou que "a aplicação combinada dos dois critérios" - incidência e ritmo de transmissão da covid-19 - mantém Portugal "claramente no quadrante verde".

"Podemos dar o passo de avançar nas medidas de desconfinamento previstas para a próxima segunda-feira", anunciou.

No entanto, o chefe do executivo avisou que há 19 concelhos no continente acima do limiar de risco de incidência da covid-19, que podem não avançar no desconfinamento, caso a situação se mantenha na próxima avaliação do Governo.

Costa deixar "uma palavra de profundo agradecimento aos portugueses, pela forma como têm conseguido coletivamente controlar esta pandemia".

"E nesta terceira vaga termos conseguido trazer com grande sacrifício, mas também grande determinação e grande persistência, de dias em que chegamos a ser dos piores do mundo para a situação em que hoje nos encontramos em que no conjunto do espaço económico europeu só a Islândia tem melhores resultados que Portugal", enalteceu.

Para o primeiro-ministro, estes resultados devem dar orgulho aos portugueses.

"Mas esse orgulho deve ser transformado e convertido em força motivadora para continuarmos a manter o esforço para que não tenhamos ficado parados a marcar passo nem muito menos tenhamos que regredir no que já conseguimos obter e que possamos prosseguir este desconfinamento a conta gotas", apelou..

Na quarta-feira, o primeiro-ministro já tinha considerado que Portugal está a atravessar um "bom momento" no controlo da epidemia de covid-19 e que o Governo deveria aprovar hoje um novo passo no processo de desconfinamento com efeitos a partir de segunda-feira.

Permitido circular entre concelhos do continente na quinzena após a Páscoa

A proibição da circulação entre concelhos no continente português não vai estar em vigor na quinzena após a Páscoa, depois da aplicação atual da medida, que termina na noite de segunda-feira, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro.

"Na próxima quinzena não está prevista a proibição de circulação entre concelhos, seja à semana, seja ao fim de semana", afirmou António Costa, em conferência de imprensa, após uma reunião do Conselho de Ministros.

A proibição de circulação entre os 278 municípios do continente foi já aplicada por várias vezes no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

A medida está atualmente em vigor, neste período de Páscoa, desde a sexta-feira passada e até às 23.59 de segunda-feira.

Esplanadas reabrem mas Costa recomenda "cautelas"

Os restaurantes, pastelarias e cafés com esplanada podem reabrir na segunda-feira, com grupos limitados a quatro pessoas, mas o primeiro-ministro recomendou hoje que se mantenham "todas as cautelas".

"As esplanadas poderão abrir, mas gostaria de recordar que não pode haver grupos com mais de quatro pessoas e que, mesmo na esplanada, devemos manter todas as cautelas", afirmou António Costa, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros que decidiu avançar com a segunda fase do plano de desconfinamento, conhecido a 11 de março, no âmbito da pandemia de covid-19.

"Obviamente, quando estamos a tomar o café, seguramente não estaremos com máscara. Quando permanecemos no café, mesmo ao ar livre, devemos manter a máscara", acrescentou o governante.

Na segunda-feira, 05 de abril, as lojas com porta para a rua com menos de 200 metros quadrados deixam de ter de vender ao postigo e passam a poder ter as suas portas franqueadas ao público, para, de acordo com a rotação e as regras da Direção-Geral da Saúde, poderem fazer atendimento presencial.

Nesta segunda fase de desconfinamento, reabrem também os ginásio, mas ainda sem autorização para aulas de grupo.

Retomadas aulas presenciais do 2.º e 3.º ciclos

Os alunos do 2.º e 3.º ciclo retomam na segunda-feira as aulas presenciais, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro, confirmando que o plano de desconfinamento na educação para esse dia se mantém inalterado.

A decisão de aplicar a segunda fase do plano de desconfinamento, conhecido a 11 de março, no âmbito da pandemia de covid-19, foi decidida esta quinta-feira em Conselho de Ministros, depois de analisada a situação epidemiológica em Portugal, em especial a taxa de transmissão (Rt) e a incidência de novos casos.

O regresso dos alunos do 2.º e 3.º ciclo, assim como as Atividades de Tempos Livres dirigidas a esses estudantes, é uma das medidas que entram em vigor em 5 de abril.

Estes estudantes juntam-se assim às crianças das creches e do 1.º ciclo que foram os primeiros a regressar às suas escolas, em 15 de março.

Centros de dia e equipamentos para deficientes reabrem

Os centros de dia e equipamentos sociais para a área da deficiência reabrem na próxima segunda-feira, dando cumprimento ao previsto para a segunda fase do plano de desconfinamento.

A confirmação foi dada esta quinta-feira pelo primeiro-ministro, António Costa, na conferência de imprensa no final da reunião do Conselho de Ministros, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

António Costa afirmou que Portugal pode "dar o passo de avançar" com as medidas de desconfinamento previstas para a próxima segunda-feira e explicou que "a aplicação combinada dos dois critérios" -- incidência e ritmo de transmissão - mantém Portugal "claramente no quadrante verde".

"Podemos dar o passo de avançar nas medidas de desconfinamento previstas para a próxima segunda-feira", anunciou.

Desconfinamento em 19 concelhos com risco mais elevado reavaliado dentro de duas semanas

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que há 19 concelhos no continente acima do limiar de risco de incidência da covid-19, que podem não avançar no desconfinamento, caso a situação se mantenha na próxima avaliação do Governo.

No final da reunião desta quinta-feira do Conselho de Ministros, António Costa anunciou que Portugal pode "dar o passo de avançar" com as medidas de desconfinamento previstas para a próxima segunda-feira.

No entanto, de acordo com o chefe do executivo, neste momento há 19 concelhos que estão acima do limiar de risco, ou seja, acima dos 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, seis dos quais estão mesmo acima dos 240 novos casos por 100 mil habitantes, no mesmo período.

O primeiro-ministro salientou que os especialistas ouvidos pelo Governo propuseram que, "se em duas avaliações sucessivas, os mesmos concelhos estiverem acima do limiar de risco, nesses concelhos não devem avançar as medidas de desconfinamento".

Dos 19 concelhos com maior incidência de casos, destacam-se Carregal do Sal, Moura, Odemira, Portimão, Ribeira de Pena e Rio Maior, com mais de 240 casos por 100 mil habitantes, segundo os dados esta quinta-feira divulgados recentes.

A este grupo de 19 pertencem ainda os concelhos de Alandroal, Albufeira, Beja, Borba, Cinfães, Figueira da Foz, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Marinha Grande, Penela, Soure, Vila do Bispo e Vimioso, que registam entre 120 a 240 casos por 100 mil habitantes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG